Home » + Destaque » Everton e o retrato do futebol

Everton e o retrato do futebol

Hoje em dia o futebol é tecnicamente inferior ao que já foi um dia.  Acho que não precisa ir muito longe pra notar isso, basta ter bom senso.

Everton é um jogador de 29 anos que passa longe de ser fora de série. É um bom jogador, mas não tem status de destaque nem no seu clube. A não ser de 48 horas pra cá, onde o valorizaram por desespero.

O São Paulo busca o jogador por 15 milhões. Eu acho muito dinheiro, mas não acho um absurdo tipo os 40 milhões no Pratto.  O Flamengo recebeu a notícia e como o valor se aproxima da multa e ele pode perde-lo sem ter escolha, fez uma oferta de renovação.

O jogador ficou interessado, é óbvio. Qualquer um ficaria aos 29 anos ter luvas de uma transferência grande sem ter que ir pra China ou pra Arábia.

Absolutamente tudo dentro do normal. A não ser pra quem vive numa bolha.

 

A polêmica em torno disso tudo pra mim é mero clubismo. A megalomania rubro-negra em achar que um jogador não pode querer sair do clube somada a repentina glamourização do Everton. Outra parte bairrismo, onde até jornalistas se submetem ao ridículo de achar que por uma “fase” ruim o SPFC é um retrocesso pra algum jogador e sua vontade de ir tem que ser “explicada”.

Tanto faz. Meu ponto é que chegamos no dia em que o Higuain vale 100 milhões, o Everton é uma grande perda pro Flamengo e um grande reforço pro São Paulo. Que o Kleber Gladiador é esperado no Fluminense aos 34 anos e que o treinador que há 2 anos era chacota recebeu uma oferta de 850 mil. E recusou.

O Geuvanio ganha uma fábula, o Gabigol é craque, o Felipão é burro e Ramiro campeão da América apenas “agrega valor”.

O Alisson era convocado só por ser gaúcho e tinha fama por ser bonito. O Ganso era melhor que o Neymar, tal qual o Bale seria o melhor do mundo em alguns anos. Lembra? Esqueceu né?

O futebol precisa ser revisto. E não é nem por velhos dirigentes cansados, menos ainda por jornalistas que juram ter a solução de tudo enquanto tomam café ignorando a capacidade lógica de quem de fato entende, faz e vive futebol.

Eu  não sei qual a solução. Se eu soubesse fatalmente não estaria desse lado da mesa e sim do outro. Mas o futebol está sofrendo de ejaculação precoce em todos os sentidos.

abs,
RicaPerrone