Desde o começo do ano eu tenho dificultado para entrar lá, sido mais fácil de entrar cá.  É minha forma de protesto.

Eu não gosto de clube que judia de sua gente. Eu não gosto de diretorias que amam mais o poder do que o futebol. Eu não suporto ver quem eu consagrei ser destruído por gente mesquinha e disposta a tudo pelo ego.

Eu pensei em te derrubar, não vou negar.

Foi aos 49 contra o Grêmio, aos 50 contra o Inter, eu estava em tanta dúvida que deixava pro final a decisão de entrar ou não. Era duro escolher entre vocês, vascaínos, e eles, dirigentes.

Como clube, merecia. Como Vasco, nunca.

Contra o São Paulo vocês me convenceram. Mostrar que fraude é pra ser limpada e não jogada pra debaixo do tapete era função de outra área, não minha. Eu estava querendo fazer justiça e acabaria atingindo os maiores e mais dignos interessados: vocês, torcedores.

O Vasco não se dá ao respeito e por isso passa pelo momento que passa. Mas vocês o dão o devido respeito, e por isso ele não deixa de ser grande.

Eu não entrei hoje por vocês. Mas até a minha paciência tem limites. E por mais que vocês achem que desde o Diego Souza eu sempre escolho te prejudicar, na verdade eu só queria premiar um Vasco que merece, não um que se arrasta.

O foda é que vocês merecem. Eles não. Mas entre você que será Vasco pela vida toda e eles, que ficarão no poder um período, escolhi vocês.

Até 2019.

Ass: a bola

Compartilhe!
  • 31
    Shares