A diferença entre Portugal e Espanha é conceitual. Um time joga coletivamente para buscar o gol, o outro joga pro Cristiano buscar o gol.

O resultado é parecido. O Cristiano encontra o gol tanto quanto os 11 da Espanha. Até porque a referência ofensiva dos espanhois é dar pro Diego empurrar pro gol. Os portugueses dão pro Cristiano inventar um gol.

Pode sofrer um pênalti, uma falta, inventar uma bicicleta ou um passe genial. Não importa. Ele tem o dom de enxergar apenas o gol na frente dele, e por isso, só por isso, Portugal empatou a partida de hoje.

Embora eu veja assim, ainda reconheço que não vi o pênalti e vi a falta do Diego no Pepe. O que não vimos, então, foi a serventia do tal do VAR.

Aberração dar ao arbitro o poder de decidir quando ele quer ou não ser contestado. Obviamente ele não vai usar como gostaríamos e deveríamos.

O que gostaríamos de ver, vimos.  Belos gols, um craque, um jogo emocionante e mais do que isso: a obrigação que o resultado deu a Portugal e Espanha jogaram por gols contra Irã e Marrocos.

abs,
RicaPerrone

Compartilhe!
  • 2
    Shares