Acho que passei 40 anos da minha vida ouvindo todas as pessoas que conheço dizendo que quando o Flamengo se organizasse seria uma potência.

Diante das administrações absurdas que o clube tinha constantemente era difícil imaginar que um dia isso pudesse acontecer, o que justifica até os rivais usarem essa frase.

Aconteceu.

Ontem eu senti do lado de fora que a coisa é maior do que um time jogando bem e ganhando. Vi rubro-negros que ignoravam futebol indo pro jogo. Vi bandeiras sendo vendidas no sinal na Barra da Tijuca. Fui atrás de ingressos pra Flamengo x Grêmio e descobri que não tem nem camarote mais. Falta 1 mes pro jogo.

Um amigo que jamais falou sobre futebol comigo me encontrou no shopping e disse “Hoje tem gol do Gabigol”. E aí voce vai me dizer que isso nem é torcedor, é fase.

Concordo. Mas voce sabia que a filosofia do Barcelona, por exemplo, é buscar fãs e não torcida? Curioso. Mas a fórmula é essa. Preferem 10 milhoes de chineses que compram a camisa e não enchem o saco do que 1 milhão de torcedores espanhóis que vao reclamar, cobrar e estar ali todo jogo.

Trazer o pouco interessado é o mais promissor dos negócios. A maior torcida do Brasil é “nao tenho time”. Logo, é pra onde você pode crescer.

O Flamengo hoje atrai pessoas que nem se importavam. Pelo ídolo, pela brincadeira, pelas vitórias, pelo bom futebol. E também pela situação dos seus rivais no Rio, óbvio. Qualquer criança com pai meio ausente hoje opta pelo Flamengo se o pai deixar solto.

Sim, eu acho que pai que deixa solto é frouxo. Time é sobrenome. Se teu filho não levar o seu você é “corno”.

Ah mas torcida aumenta porque torcedores do time X mudaram de time. Não querido. Diria sem medo de errar. Nunca um torcedor de futebol mudou de time em todos os tempos. Se mudou, não era torcedor.

O Flamengo hoje conquista os não torcedores. O de ontem afastava quem torcia. Se há dúvida sobre o caminho a seguir, nem vá nas próximas eleições do seu clube.

RicaPerrone

Compartilhe!