Home » Futebol » É sério?

É sério?

O SPFC anunciou Rivaldo. Eu custei a acreditar pela idade, mas entendo pela questão do marketing, apesar de achar que o sujeito tem carisma zero.  Ele foi um grande jogador e, mesmo eu nunca tendo sido fã dele, respeito sua carreira.

O SPFC tem números nas mãos pra saber que sua torcida consome APENAS títulos e decisões. Não há idolatria por ex-jogadores, não há idolatria por novos reforços e nem nada do tipo. São-paulino só quer saber de ser campeão.

(Traduçao do paragrafo acima pra são-paulino fanático: Adriano estreou pra 10 mil. Jogo comemorativo do mundial em 2006, com o time de 92 e o de 93, alem do de 05, deu 15 mil pessoas e a torcida PROTESTOU 20 dias apos o mundial.  Jogos para menos de 500 pagantes em 90 e 91, com a base campea do mundo em 92.  É isso que quero dizer. Só isso. São fatos, nao minha opinião. Me refiro a TORCIDA DO SP, não o clube. O clube recebe bem e valoriza. Quem não tá nem ai pra nada que não seja caneco e decisão é a torcida do SP. )

Por isso, acho o Rivaldo, como marketing, um pouco questionável. Duvido que ele tenha tanta repercussão quanto pensam, a não ser que jogue muito, o que não é fácil acreditar aos 39 anos.

Não entendo, porém, porque o SP contrataria o presidente do Mogi e ainda nem obrigaria o cara a sair de lá.

Anti-ético, absurdo, ridículo, patético das 2 partes.  O conflito de interesses é inegável, e manter essa situação é pouco profissional tanto por parte do Rivaldo quanto por parte do SP.

E pior ainda é o Mogi, claramente tratado como “resto” pelo seu presidente.

Mas, voltando ao campo, Rivaldo pode até ser um surto de talento em meio a tanto volante grosso que só corre. Pode dar certo? Pode… o Paulistão é uma porcaria, dá pra brilhar. No Brasileirão duvido.

Não sei o quanto ele vai receber pra dizer se vale a pena ou não. Eu não faria nas condições que estão sendo feitas.

Rivaldo sempre foi um jogador de frente, nunca um articulador de jogadas na função do “10”. Ele era 11, 7, mas o dez, centralizado, de cabeça erguida, ele nunca foi.

Talvez, como aconteceu com o Muller, ele se torne um jogador diferente depois de mais velho. Talvez não.

Acho a tentativa razoávelmente justificavel, mas não com ele se mantendo presidente do Mogi.

Pelo menos é algo interessante para um campeonato tosco, falido, morto e não enterrado.

abs,
RicaPerrone

Comentários