Guerrero joga a Copa. Mas antes vamos separar uma coisa importante: A FIFA não mudou de idéia e o autorizou a jogar. A decisão está vindo da justiça Suiça, não do futebol.  Ou seja, é como se o STJD proibisse um jogador de atuar e ele fosse a justiça comum e conseguisse o direito de jogar.

Então, separando por partes, não foi a FIFA que resolveu fazer “esquema” com a federação peruana como alguns insinuam.

O ponto é que seja lá como for, a decisão termina com um cenário surreal. O jogador é pego no doping jogando pelo Peru, cumpre suspensão pelo Flamengo, quando chega a hora de defender o Peru na Copa consegue liberação e depois volta a estar suspenso pelo clube.

Ou seja. O Guerrero terá sua Copa, o Peru terá seu ídolo, a Copa terá um personagem polêmico e o Flamengo… Bom, o Flamengo que se foda.

Esse é o recado final da justiça.

Todos conseguiram ponderar e atender suas necessidades. Menos um, que é justamente quem paga a conta. Sendo ou não decisões isoladas que não se falam entre si para combinar uma coerência, o final da história é ridículo.

Está punido. Mas joga o principal torneio do mundo depois volta a ser punido.

Hein?

E pior. O Flamengo, puto, se quiser amanhã ir brigar por isso não vai reverter a decisão final dos 14 meses em 2 semanas. O máximo que vai conseguir é tirar o Guerrero da Copa.

Veja você que delicado. Pra brigar pelo seu, o Flamengo prejudicaria o cara que ele quer ter de volta. Ou seja, de todas as maneiras possíveis o Flamengo se deu mal.

Pouco importa quem armou a lona, quem vendeu ingresso e quem fez ou não o ensaio. O circo está armado e o palhaço é o Flamengo.

abs,
RicaPerrone

Compartilhe!