Home » Futebol » Futebol Europeu » É bom, ruim, ou os dois

É bom, ruim, ou os dois

Futebol é um esporte simples: a bola entra, foi bom. Não entra, foi ruim.

Essa visão deveria se limitar ao torcedor, que está ali meramente para olhar 11, nao 22. Meramente para esperar a vitória e não o jogo em si. Imagina-se que comentaristas esportivos são os caras que ficam entre a real capacidade de entender futebol, que são os profissionais do futebol, e a maluquice plena, que são os torcedores de futebol.

A partir do momento que comentaristas analisam o jogo exatamente com os olhos do torcedor ou achando que tem a capacidade de avaliação do profissional de futebol, estão sendo pior que ambos.

Ontem era 30 do segundo tempo e Neymar jogava bem. O PSG não se intimidava, tocava a bola e estava bem mais perto do gol. Era unanime. A bola estava mais perto de consagrar o Neymar do que o Cristiano, e então todos se inclinavam pra isso.

Aí a bola bate, rebate, vai no joelho e entra. Minutos depois uma jogada do craque Marcelo e 3×1. Fim de papo, o Real Madrid jogou muito, o PSG, nada.

Hoje todas as discussões sobre o jogo cobram o que “faltou” ao Neymar, e na mesma linha discutem o individualismo dele. Se não é pra ser individualista, cobrem do time de estrelas inteiro do PSG. Por exemplo de alguns deuses da imprensa que atuam por lá.

Mas não. Neymar tem que ser “mais coletivo”, que é pra quando não der certo apanhar sozinho.

Em 90 minutos o PSG jogou uma partida melhor que o Real Madrid.  Fez o que tinha que fazer, a bola não entrou, a do Real entrou. Mas daí a entender que por causa de 2 gols no fim a análise de tudo que havíamos visto some é um atestado da que não temos a menor função.

O Casagrande dando aula no Neymar toda semana é algo pra mim surreal. Ele pode critica-lo, é claro. É sua função hoje.  Mas um sujeito com o histórico dele não pode ser soberbo pra falar do comportamento de ninguém. Ainda mais de um garoto que aos 25 tem menos risco de fazer uma merda do que ele aos 54.

 

Cadê a porra do Cavani, que tanto idolatram? E o Rabiot que ficou olhando pro Marcelo no segundo gol? Quantas bolas alguém do PSG carregou pro campo adversário sem procurar o Neymar?

O Real jogou coletivo por acaso? Ou esperou a sorte da bola cair no craque?

Mas entrou. E se ela entra, avaliamos uma coisa. Se não entrar, outra. Ou seja, fazemos o que qualquer chipanzé faria olhando pra uma tela com os melhores momentos do jogo.

O Real ganhou porque o PSG é um time pequeno. Tal qual o Barcelona virou aqueles 6×1.  O Thiago Silva tá fazendo mimimi em rede social porque não sabe ficar no banco e vocês tão batendo em quem? No Neymar.

E depois cobram que ele não seja individualista? Vocês individualizam o PSG inteiro na figura dele. Porque ele pensaria coletivamente se só ele apanha?

Semana que vem bastam 2 gols. Menino é gênio, Cristiano em queda, Real em crise, PSG rumo ao título e Casão dirá: “Ele me ouviu! Por isso os 2 gols hoje!”.

Ninguém no mundo é mais arrogante do que jornalistas. Os caras que estudaram pra aprender a colocar virgula e se sentem pós graduados em todas as palavras que ficam entre elas.

abs,
RicaPerrone

Compartilhe!
  • 145
    Shares