É quase isso. São 3 partidas onde o Vasco tem o time mais limitado dos 4 clubes do grupo e precisará vencer as 3. Isso após 2 derrotas e um empate no primeiro turno e uma goleada sofrida no jogo decisivo para chegar nele.

Não fosse o goleiro Martin, não estaria nessa fase e ontem teria sido humilhado pelo Racing. É pra se considerar as chances do Vasco bem pequenas nessa Libertadores neste momento.

E assim sendo, nesta sexta-feira sorteia-se as oitavas da Copa do Brasil, que é o torneio mais bem pago das Américas em prêmios.  São 4 confrontos de mata-mata pro Vasco poder, quem sabe, ser campeão nacional.

Paralelo a isso tem o Brasileirão, onde o clube não goza de favoritismo e nem da certeza de que não passará algum aperto.

Eu pergunto: o milagre ou o foco no mais possível?

Como que acorda o Vasco hoje e determina pra onde seu time direcionará suas forças nas próximas semanas?

E você? Teria coragem de “abandonar” uma Libertadores por considera-la quase impossível nessa altura? Ou abre mão de focar nos outros campeonatos pela honra de ser grande e ter que sempre estar pensando no mais alto posto, mesmo que saiba não estar preparado pra ele?

Eu, dirigente, frio, não vascaíno, diria que é pra focar nos torneios nacionais e mandar o mistão pro resto da Libertadores.

Eu, vascaíno, to na fila pra comprar ingresso e devolver essa paulada no Racing semana que vem no Caldeirão.

E você? A razão, a paixão ou a tentação?

abs,
RicaPerrone

Compartilhe!