Imagine ser filho de um treinador conhecido, consagrado mas muito ruim na avaliação da enorme maioria. Inclusive na minha.

Imagine que você carregará esse sobrenome com o asterisco da Copa de 90 pra sempre no meio do futebol.

Um dia te chamam pra tapar um buraco por uns dias num grande clube. Um jogo.

Contra o Goiás, líder do returno, em casa, pressionado, e diante de um protesto do elenco quanto a saída do ex treinador.

Se Bruno Lazaroni não “vive um drama”,  não sei quem vive.

Boa sorte!

RicaPerrone

Compartilhe!