Quando o Flamengo escalou o time reservas hoje não esperava tamanha dificuldade em conseguir o empate. Mas sabia estar lidando com um time de psicológico assustadoramente frágil.

Talvez por isso eu tenha dito aqui na semana passada que era melhor pro Vasco o Flamengo titular. Tiraria dele a pressão e a “obrigação”, pois poucos times ao longo da vida eu presenciei terem tanto pânico de resolver jogos como esse Vasco.

Deve ser a quarta partida consecutiva que repito isso. Diversos contra-ataques, campo aberto, vantagem numérica e o gol que resolve a partida não vem. Todos eles por erros individuais idiotas. Por mais que caiba a Valentim algo, é inadmissível que com 4×3 num contra-ataque você não consiga concluir ou chegar até a área.

É inaceitável lances como o do Rossi, que impedido correu a frente de um companheiro em condição legal anulando o contra-ataque.

O Flamengo estava a passeio. Não porque não queria vencer, é óbvio que queria. Mas porque escalou reservas minimizando a importância do jogo e especialmente porque o campeonato é tão absurdo e idiota que pra ele perder significava uma semifinal em tese mais fácil.

Não fosse o Vasco, o fato de ser um clássico, diria até que era melhor pro Flamengo ter perdido.

O gol do Arrascaeta empatou um jogo equilibrado. E portanto justo. Nos pênaltis se tornou previsível em cada semblante o que vinha pela frente. Um Vasco com ar derrotado e um Flamengo que virava um cenário.

A vitória do Flamengo ao menos dignifica a estupidez do Carioca 2019. Pois o Vasco poderia ganhar os 2 turnos e perder o campeonato. Agora não pode mais. Ainda assim o Fluminense e o Bangu podem conseguir essa proeza.

Mas também, convenhamos, nessa aberração só existem cúmplices. Todos assinaram.

Segue o baile. Agora pra valer. Ainda que tentem destruir, a rivalidade entre os clubes segue salvando os estaduais do óbvio fim.

RicaPerrone

Compartilhe!