Home » Futebol » Clubes » Corinthians » Convencibilidade

Convencibilidade

Uma grande vitória, de um grande time, sobre um grande adversário, num grande jogo.  Isso define o Corinthians 1×0 Inter desta noite no Pacaembu.   Se teve jogo melhor do que este no Brasileirão 2011 até aqui, eu não assisti. E se “nos pontos corridos todo jogo é decisão”, hoje assisti a primeira.

Tite, que não faz marketing como outros tantos, sofre por não ter grife. Assim sendo vive meramente de resultados.  E quando eles estão aparecendo, méritos ao professor.

Eu nunca achei Tite um treinador top. Acho um bom técnico, como outros que temos por aí. Alterna trabalhos ruins com razoáveis ha anos, e alguns resultados que não o menosprezam mas também não consagram.

Com este Corinthians complicado, que exige renovação a cada 3 meses e cheio de peças novas, tem mostrado não ser “comum”.

Hoje o Corinthians garantiu 3 pontos diante de um baita adversário, num jogo duríssimo e resolvido no detalhe.

Não haveria nada de anormal caso o gol tivesse sido vermelho. Como não há nada absurdo em ter sido alvi-negro.

O jogo em si foi altamente equilibrado, com a parte coletiva do Corinthians funcionando muito bem e o Inter ainda dependendo um pouco do talento individual de cada jogador na frente.

Natural, Falcão chegou bem depois do Tite. Porém, o time não.

Se um time brasileiro deveria ter um padrão em virtude da manutenção da base é o Inter. E até tem, só que abaixo do que deveria ter.

Surpreendentemente, do outro lado, onde entra e sai jogador desde sua chegada, Tite conseguiu dar uma cara pro time.

Time que marca, joga fácil, pelos dois lados, sem depender de jogador nenhum. É o time mais “bem armado” do país hoje. E isso é trabalho do técnico.

Se a bola entra ou não, trabalho do centroavante. Se o time cria e mostra equilibrio, trabalho do treinador.

Tite está mostrando algo muito melhor do que esperavam dele. O Corinthians se mostra um time quase pronto, e ainda sem Adriano.

Dirão que “não é hora de estar no auge”, e é natural que digam, já que só um está.  Mas é melhor voar agora do que não saber se conseguirá voar depois.

Hoje, no Pacaembu, um espetáculo sem firula e com apenas um gol.

Porque jogar bem não é jogar bonito, por mais difícil que seja explicar isso pra algumas pessoas.

Inter e Corinthians apenas confirmaram o que todos sabem sobre eles: São fortes candidatos ao título brasileiro.

E o Tite, que nunca fez marketing,  colhe frutos de um trabalho limpo, digno, claro e sem chororô.

A desconfiança alvi-negra vai se rendendo a convecibilidade do Tite. Cada dia mais “líder” do líder do Brasileirão.

abs,
RicaPerrone