Home » Futebol » Clubes » Corinthians » Como formar um time vencedor

Como formar um time vencedor

Quando o Corinthians caiu pra série B, alguns diziam: É a única forma do clube ter paz em formar um time vencedor. Eu era um deles. Porque? Porque times vencedores, hoje em dia, não precisa apenas de craques. Precisam de encaixe. E isso só se faz com tempo, planejamento e paz.

Paz que o SPFC conseguiu em 2004/05 quando ignorou o chororô da torcida e manteve o projeto. Paz que o Corinthians teve ao engolir a série B, reconhecer a queda e montar um time aos poucos.  Assim, mantendo o planejado, a coisa funciona. Quer ver?

Ha exatos 15 meses, se eu te desse Felipe, Alessandro, Douglas, William, Andre Santos, Cristian, Elias, Douglas, J. Henrique e Dentinho voce faria o que alem de dizer: “Que lixo de time…”?

Ou melhor: Se em 2004 eu te disesse que Grafite, Josué, Danilo, Cicinho, Lugano, Fabão, Alex Bruno e Mineiro seriam a base de um projeto Toquio. Voce daria risada, né? Pois é…

E bom é aquele treinador capaz de ir montando isso aos poucos até chegar num ponto em que o time atua bem e ganha. Nos dois casos mais recentes de sucesso e bom futebol do país, SPFC 05, Inter 06 e Corinthians 09, as histórias são parecidas.

Treinadores calmos, de bom trato com imprensa e jogadores. Porque a relação, a medio e longo prazo, é fundamental. Times que foram mantendo a base e colocando peças nos lugares certos, sem loucuras.

Os tres foram buscar a cereja do bolo. Ronaldo, Amoroso e Tinga. Sem contar as que ja tinham, como Ceni, Felipe, Fernandão.

Os três usaram alguns nomes revelados pelo clube, ou contratados ainda sem estarem prontos. Casos de Andre Santos, Elias, Rafael Sobis, Josue, Cicinho, Lugano, Dentinho…

A união da boa base com um pequeno fator desequilibrio técnico dá a qualquer time resultados positivos.

Foi assim que os 3 fizeram suas caminhadas de sucesso.

O Cruzeiro 2009… alguma semelhança? Todas!

Existem clubes, como o Flamengo, que mantém a base ha alguns anos e não conseguem o resultado no detalhe. Mas é inegavel que o Flamengo de Leo, Bruno, Juan, Angelim, Ibson e cia conseguem muito mais do que os anteriores, que viviam brigando pra não cair. Nessa de manter a base foi uma Copa do Brasil, 3 cariocas e dois brasileiros brigando lá em cima, perdendo ou ganhando no detalhe de jogo.

O Fluminense 2008, que manteve alguma base de 2007 e reforçou em setores fundamentais, precisava de controle. Optou por ganhar na técnica, nào na tática somente. E conseguiu, deixando o time nas mãos de um treinador que sabe conduzir as estrelas contratadas. As coisas foram dando certo.

Vendeu tudo, sobraram 2 daquele time. Deu no que deu…

Futebol hoje é isso. Paz para montar um time, o uso da base, a aposta em valores, dois ou três mais experientes, um fator desequilibrio e boa liderança.

Mas, fundamentalmente, paz para seguir o planejado. Paz que o Corinthians só teve na série B, que o Flamengo não consegue ter nunca, que o SPFC teve por ignorar os protestos da organizada e que o Inter conseguiu culpando um problema extra-campo pela perda em 2005.

Paz que as vezes cai do céu, as vezes você cria. Mas, ela é fundamental.

Portanto, diante de tantos casos parecidos de times vencedores, talvez seja hora de alguns torcedores pensarem 2 vezes antes de querer destruir o clube quando um time fica 3 jogos sem vencer.

Resultado em futebol é resolvido no detalhe. Um vice não implica em trabalho ruim, como um titulo, muitas vezes, não quer dizer que foi tudo perfeito.

abs,
RicaPerrone

Comentários