Home » Futebol » Como avaliar um treinador?

Como avaliar um treinador?

A gente tem por habito questionar o trabalho ou exata-lo na medida que o time ganha ou perde. E não acho que é por ai. Treinador não joga, apenas escala e treina. E como avaliar o trabalho de um treinador? É olhando o resultado, apenas?

Acho que não. E vamos a exemplos claros desta avaliação.

O Andrade tira um volante e mete um meia aos 25 do primeiro tempo no Maracanã. Se o Adriano faz o gol de penalti e o Fla vence o jogo, ele era ousado, genial. Como o Jefferson pegou, ele é ruim. Não tá certo.

O Cuca não tem culpa do time dele criar 20 chances e perder 18. Ele montou o time pra criar, e criou. Se o juiz inventa um gol e o Fred perde um penalti, ele não tem culpa. Se passa, ele é bom treinador. Não passando, é ruim. Não tá certo.

O Ricardo Gomes escalou o SP toscamente em diversos jogos. Contra o Corinthians, por exemplo, o time foi achar 2 gols em falhas do goleiro e empatou jogando NADA. Se vira, ele é genio. Como tomou gol contra no fim, é ruim. Nao é por ai.

Tecnico de futebol tem que fazer o time jogar bem. E jogar bem não é dar show. É ter um time equilibrado, que se defende bem, agride mais do que se defende (no caso dos grandes), tem padrão de jogo e opções de jogada. Se criar 10 chances e não fizer, o cara não tem culpa.

O time tem que jogar o melhor que pode. O resultado quem determina em 90% é o time, não o tecnico. Você pode pegar qualquer situação recente e analisar desta forma.

O Flamengo, hoje.

Se não toma o gol no final do Universidad e ontem o Adriano faz o penalti, o Andrade hoje seria questionado por ser classificado na Libertadores e finalista do carioca? Não, não seria.

O Cuca seria questionado se o juiz não inventa um gol pro Bota onde o Flu foi melhor 90 minutos? Nao seria.

O Ricardo Gomes seria questionado se o SP tivesse virado contra o Santos no Morumbi? Não. Seus 4 meses de escalações absurdas e nenhum padrão de jogo seriam esquecidos.

Acho que deveria caber ao jornalista fazer a analise diferenciada do torcedor. Mas, hoje, jornalista anda torcendo com o microfone. Então, apenas repete o que todos falam ou então olha o placar no Fantástico domingo a noite e sai cornetando na segunda.

Futebol é um jogo complexo onde seu segredo é exatamente o fator imprevisivel do resultado. Ele não reflete o jogo, muitas vezes nem sequer o que aconteceu com justiça, pois um arbitro muda tudo.

O que tem que ser analisado é a forma que o time se posta, é escalado e como atua. Se por detalhes não ganha, é melhor ver se o detalhe é o treinador ou o jogador.

Ao meu ver, o Fluminense, por exemplo, faz muito do que podia fazer. Não venceu, mas faz o que pode, joga pra cima, cria chances, e perde. Aí não é com o Cuca.

O Flamengo erra as vezes na escalação. Parece faltar um pulso no grupo, mas não é 100% culpa do Andrade. Acho que cabe a ele algumas criticas sim, mas não todas.

No SP, que não joga futebol ha 4 anos, não dá pra jogar tudo no RG. Mas é notável que ele piorou o que já era ruim. Nao escala bem, o time joga mal, e não sabe os 11 titulares apos 4 meses. Ai sim, pode se questionar o comando.

No Bota, o Joel é determinante, mas não é ele quem faz tudo. Muitos méritos pra defesa, pro Abreu e pro Herrera. Joel escala o Bota do jeito que “dá”. Não tem muita escolha.

E assim vai. No Inter, é bem claro que o técnico não consegue achar um time. E que o time também não corresponde muito ao que era esperado individualmente. Trocar o treinador simplesmente é isentar, por exemplo, o Dalessandro da bola que ele joga perto da que ele poderia jogar.

E é assim que eu vejo futebol.

Detalhes mudam um placar, desmentem os fatos, mas, azar dos fatos.

Trabalho de treinador se analisa pelo desempenho. Os resultados são referencia para o elenco, time, azar, arbitragem, detalhes e etc.

abs,
RicaPerrone

Comentários