Home » Diversos » Blog » Clube bem amado

Clube bem amado

RicaPerrone no clube

Neste TCC, que Caio, Arnaldo e Junior (isso dá trio de comentarista na Globo) fazem com carinho, o assunto é só o SPFC. O foco é como o clube se tornou gigante nos últimos anos e se isso será mantido. Me entrevistaram só sobre o clube por mais de uma hora ao telefone. E com autorização deles, publico a entrevista.

O que significa o São Paulo na sua vida?
Mais do que muita gente imagina. Eu nasci no clube, sou sócio há 30 anos, conheci todos os presidentes e tenho uma história familiar forte no São Paulo. A valsa de 15 anos da minha mãe ela dançou com Laudo Natel. Meu tio esteve na abertura do Morumbi no gramado, e meu avô foi um dos que deu os primeiros pacotes de cimento.  Eu estudei na escolinha do São Paulo, assisti mais de 600 jogos no Morumbi… Posso dizer que é enorme parte da minha vida aquilo.

Quais são os grandes ídolos do clube pra você?
Eu não me sinto a vontade pra cravar nomes que não vi. Mas, do que eu vi, Raí, Rogério, Lugano, Dario, Oscar, Muller, Pita… Vou esquecer um monte se for falar aqui os que lembro.

E o seu maior ídolo no clube, pessoalmente?
Raí, sem dúvida. O maior e mais importante jogador da história do clube.

Mais que o Rogério?
Sim, pra mim sim. O Rogério é um monstro na história do SPFC. Mas o Raí pegou um SPFC regional e foi levando até Toquio não apenas jogando como sendo capitão e fazendo TODOS os gols decisivos do time até lá. Ele não existe!

Falta reconhecimento ao Raí no clube?
Falta! Muito! Aliás, a torcida do São Paulo não é de ficar lembrando dos antigos idolos. É uma característica dela. Ali se vive mais o amanhã e o hoje. O passado é pouco lembrado, não há muita idolatria. É estranho. O Raí é o Zico do São Paulo, cara.  Olha o tratamento que ele tem lá e o que o Raí tem aqui.

Você fala da torcida do São Paulo sempre com ressalvas. Porque?
Olha, eu tenho “problemas” com a torcida do SP de modo geral. Eles não gostam de mim em sua maioria e eu não gosto da postura dela. A única coisa que me dá razão é que 90% dos tricolores de estádio que conheço dizem o mesmo que eu em off. Só que na frente dos outros pega mal.

Dizem o que?
Que infelizmente o clube tem uma torcida acomodada, que liga demais pra Libertadores, que é muito mimada, essas coisas…

A tal torcida de final?
Sim, e é mesmo. Os números mostram isso ao longo da história. Lá no SPFC eu cansei de ouvir de dirigentes que o maior problema do SP é a torcida. Cansei! Só que não se pode dizer isso publicamente. Mas todo mundo sabe, é dificil lidar com uma torcida exigente assim, quase cega. Eles acham que o time tem que ganhar a Libertadores todo ano, e isso não existe.

Toda torcida é igual?
Não, não é não. Elas reagem igual. Se você perde um titulo, semana que vem não vai ninguém. Isso é de todas. Se o time joga mal, não vai ninguém. Mas tem características diferentes e eu posso dizer isso porque frequento arquibancadas de todos os times há anos. O clima é outro, o ambiente, o jeito de torcer, o envolvimento… São culturas diferentes. Você vai ao Palestra e eles reclamam do time antes da bola rolar! É impossível! No jogo do Corinthians eles acreditam sempre, tem fé antes de reclamar. São culturas, níveis de exigencia, etc.

E porque você acha que a torcida do São Paulo em especial age desta forma?
É fácil, e nem é culpa dela. Você pega um torcedor do SPFC de 30 anos. O que este cara sofreu na vida? Nada! Sofrimento de sãopaulino é ser vice. Sofrimento dos outros é não cair, ficar em décimo, ver a diretoria rachar, o clube quebrar, etc. O sofrimento do sãopaulino é diferente. A vida toda ele sofre por “não ganhar”. Os outros já se foderam de todo jeito. Então, o valor dado as coisas menores é diferente. E aí você pega um sãopaulino de 20 anos, que vê futebol há 10. Ele viu o time apanhar do Corinthians por anos. Hoje, ele quer ganhar! Foda-se se é feio, retrancado. Ele quer ganhar e só. É o “troco” dele a anos perdendo.

Dá um exemplo de diferença de postura entre as torcidas.
Claro. Simples. Se o São Paulo ganhar 5 jogos seguidos no Brasileiro, seu público sobe de 12 pra 20 mil. Se ele for líder, mantém os 20 mil. Se o Flamengo ganha 3 jogos no campeonato dá 50 mil domingo. E se for líder, é 50 mil por jogo. Óbvio que isso é fruto da fase, da falta de títulos recentes, etc. Mas, é uma diferença de postura. Eu costumo dizer que uma das coisas que melhor diferenciam isso é o que ouvi na porta do Pacaembu, do Morumbi e do Maracana. Eu já cansei de ver Morumbi lotado e a frase lá fora é: “É Libertadores! É final!”. No Pacaembu eu ouço “É o Corinthians!”, e no Maracanã “É o Flamengo”. Entende? É diferente. O sãopaulino condiciona demais a sua interatividade com o clube ao tamanho do jogo, do momento, do título…

E isso tem cura?
Não. Virou cultural. Tem que aceitar e dane-se. Agora, elogiar não vou. Pois não acho que este seja o perfil de um torcedor que ajude o time. Acho que este é um perfil de teatro, onde você só está lá se a peça é boa, só de vez em quando.

Porque você diz que a torcida do São Paulo te odeia?
Não são todos, claro. Mas a maioria, eu diria. (risos)

Mas porque?
Porque eu sou sãopaulino e deixei de fazer um site pro SPFC e escrever como torcedor pra escrever de todos os times e de forma isenta.

E isso desagradou?
Pra eles parece “traição”.  Eu entendo, juro. É normal. Quando eu era um torcedor comum eu também pensaria igual… Como pode um dos meus virar um “dos deles”? Mas, é meu trabalho. As coisas mudaram, eu tenho um site, não mais um site do SPFC. Hoje eu sou comentarista de futebol, não mais comentarista do SP.

É por causa da relação com o Flamengo também?
Até é. Mas isso é meio hipocrita deles porque os botafoguenses, tricolores cariocas e vascainos não me odeiam. E quando eu escrevia no site do SP e fazia podcast lá, sempre deixei claro que eu tinha uma admiração pelo Flamengo e nem por isso nego me perseguia. Aí, quando parei com o SP e meu blog entupiu de rubro-negro… inventaram essa moda de dizer que mudei de time. (risos) E olha que todo podcast do Flamengo que fazemos no Urublog eu nunca escondi meu time. E ainda assim recebo mais carinho do que porrada do lado de lá.

E te incomoda?
Não mais.  Já me irritou muito. Hoje eu não ligo, acostumei. Na medida em que a visitação cresce você passa a ignorar os comentários por não conseguir mais acompanha-los. Fica muita gente e as coisas se perdem ali no meio. E cada post no blog tem cerca de 7 mil leitores em média, pra 100 comentários. Ou seja, 1,5% das pessoas que leem comentam. Não dá pra ficar dando toda essa moral. Quem não gosta, não volta. É simples.

Você tem criticado o clube nos últimos 3 anos. Porque?
Tem 2 coisas. Eu critico a forma de jogar, como critico em todo time que treina o ano todo e não consegue sair da defesa. E a outra critica é a diretoria, mas não exatamente sobre a administração, mas sim a postura. É só isso que critico. Inventam que eu critico tudo, e não é verdade. 90% do que critico é repetitivo. Empáfia e jogo defensivo. Só.

Você apoiava a diretoria. Porque mudou?
As coisas mudaram no São Paulo. O Juvenal se fechou com aquela meia duzia dele e ninguém palpita mais nada. É o Dualib do São Paulo, o Eurico, o Mustafa. Se deixar ele comanda lá por 20 anos sem ninguém notar. Eu não suporto essa mania de grandeza que inventaram lá. O São Paulo nunca pisou em ninguém quando ganhou, e essa diretoria pisa até quando perde. Quando o Casares se afastou, minha maior fonte de credibilidade ali sumiu. Passei a desconfiar das coisas. Conheci gente ruim que trabalha lá, e ao ver coisas que não concordo, me afastei.

Que coisas?
Não posso sair falando. Mas eu não concordo com o que está sendo feito, basicamente.

Você já teve algum envolvimento com o clube profissionalmente?
Quase. Cheguei a oferecer um projeto de mobile, que é minha área.  Só que as coisas mudaram no caminho, outra pessoa assumiu a negociação e eu me retirei da concorrência por livre e espontânea vontade.  Inclusive guardo o documento onde me retirei até hoje, pra que nunca digam que eu critico a diretoria atual por não ter ido adiante o projeto do mobile lá. Quem desistiu fui eu, exatamente por não concordar com o que estava sendo feito.

Você acha o Marco Aurélio Cunha um grande dirigente?
Acho, quando ele era dirigente. Hoje, pra mim, ele é uma figura engraçada pra torcida e só. Não vejo ele fazer nada além de ir na TV fazer o papel de torcedor. Não gosto disso, acho ele inteligente demais pra fazer só isso. Ele devia ser o diretor de futebol.

Porque o São Paulo se tornou essa potência no futebol brasileiro?
Porque ele enxergou antes dos outros o que era os pontos corridos. Ele parou de jogar bola e fez uso do seu Reffis, sua estrutura, etc. E assim, como vemos ano após ano, antecipou uma tendência mundial que é o futebol meramente de resultados.  Em 38 rodadas estrutura pesa.

Você acha que o São Paulo joga tão feio assim?
Acho. E é fácil notar. O SPFC levou 3 brasileiros, é incrível! Dos 3, foram 114 jogos. Você cita de cabeça 10 grandes partidas nestes 3 anos?

Não. Preciso pensar.
Então… se pra achar 10% de grandes partidas em 3 anos como campeão é dificil, algo está me dando razão. Não acha?

Sim… é um time que joga pelo resultado.
Então, é isso. Eu respeito, mas não concordo. Futebol não é só isso.

O que você mudaria no São Paulo hoje?
A postura.

A “empáfia” que você diz?
Sim.

Não seriam os resultados o motivo do SP ser hoje um clube odiado?
Não. O Brasil é o pica nas Copas e ninguém odeia. O SPFC de 92/93 ganhou tudo e todos eram simpáticos ao clube. O Santos atual é simpatico ao torcedor. O Cruzeiro do Luxemburgo era simpático a todos. Uma coisa é ganhar, outra coisa é saber ganhar. Quando perde, não se pode achar que o mundo acabou. Mas quando ganha, não se pode achar Deus. E o SPFC tem dirigentes que acham isso.

Você sempre aliviou quando perdeu, mas sempre criticou quando venceu. Porque?
Porque acho que futebol não é ciência exata.  Eu acredito que avaliações não são feitas pelo resultado somente. E por isso acho que derrotas fazem parte da vida, como vitórias nem sempre são tão brilhantes quanto parecem.

O São Paulo mereceu os 3 titulos?
Dois. O de 2008 foi um achado sem tamanho. Mas, por outro lado, também não tinha ninguém jogando nada. Assim, ele se torna merecedor dos 3. (risos)

Uma vez você disse que o título de 2008 foi o pior campeão brasileiro que você viu. Confere?
Sim, nunca vi um campeão jogar tão mal.

E a Libertadores atual?
Acho que tanto Inter quanto São Paulo foram até as semifinais pela camisa. Os dois se enrolaram, jogaram bem menos do que podiam e não convenceram ainda.  Mas… chegaram! E chegando, tem camisa.

O campeão sai deste jogo?
Não… isso não existe. Até porque, Chivas e La U fazem uma Libertadores melhor do que Inter e São Paulo até aqui…

O que você acha do São Paulo não ter ninguém na seleção?
Normal. O futebol brasileiro é que não tem.

E a base do clube?
Absurdo! Patética! Irritante! Revoltante! Como pode????? Ninguém sobe, ninguém vinga, é a melhor estrutura de base do mundo!!!

O que acontece?
Não sei. Mas se você for ao técnico do sub-15 e perguntar pra ele 10 nomes de peso que lá estiveram, anote e vá perguntar ao sub-20 se chegaram nele…

Não?
Não.

Porque?
Não sei. Adoraria saber.

Você ainda torce pelo São Paulo?
Claro! Mas em casa, na minha. No blog não tenho mais esse direito. Acho injusto com os milhares de leitores de outros clubes que agora frequentam lá.

Uma vez você disse que não era mais como antes…
Não, não mesmo. O futebol cansa você. Quando você lida com vários clubes, você vê coisas que ninguém vê. Um torcedor só vê o dele, eu vejo vários. E vendo, nota-se que os outros também merecem, que as vezes o seu não é o melhor. A paixão diminui muito. A minha pelo menos.

Seus colegas também?
Não todos. Mas a maioria fica menos eufórica, eu diria. Muitos mantém, nem sei como. Eu não consigo.

Você ainda vai ao Morumbi?
Este ano eu prometi a mim mesmo que só voltaria lá quando o time apresentasse um futebol respeitável. Sair de casa pra me irritar não dá. Então, não fui este ano ainda. (risos)

Foi a estádio este ano?
Fui… fui ver o Corinthians duas vezes quando o time foi montado. Como todos, queria ver Ronaldo e R. Carlos em campo.

Faltam ídolos deste porte no São Paulo?
Faltam. No Brasil, em geral. Mas o São Paulo testou com Adriano e viu que a torcida não reage a isso tão bem. É o que eu digo: No SPFC só funciona o titulo. O resto não existe. Não importa o idolo, o time jogando muito, nada! Lá só existe perder ou ganhar, e isso é um crime contra o futebol e o que ele realmente significa.

O Adriano não deu certo?
Como marketing não muito. Ele estreou pra 15 mil pessoas porra!  Olha o que acontece com Ronaldo, Adriano no Fla, Fred no Flu.  Ele jogou muito! Mas o respaldo da torcida seguiu atrelado meramente ao resultado. Por isso, desde então, não se investiu mais em ídolos. Apenas em resultados.

Há essa discussão no clube?
Sobre a torcida?

Sim.
Há. Já cansei de discutir com o Julio sobre isso. Me lembro de algo que nem sei se devia contar, mas vou. Teve um SP x Flamengo em 2008, onde o Tricolor ainda brigava por título e o Flamengo idem. Entrei no Morumbi as 15h e o Julio foi comigo ao gramado. Ele olhou pra torcida do Fla, e estava quase igual a do SP. Ele riu e disse: “É foda… Nunca vamos mudar isso!”.  E conversei com ele sobre isso, exatamente isso que estou comentando. Que é dificil trabalhar a torcida do SP porque ela tem um interesse único, que é o resultado. Não atrai nada além disso. É duro pro mkt do São Paulo, viu? (risos)

O São Paulo vende produtos em bom nível?
Sim, tem uma torcida rica. A maior na web, por exemplo. Mas tem números assustadores. Por exemplo. O clube vende cerca de 450 mil peças por ano. Ok? Ganhando os Brasileiros vende isso. Se não ganhar vende 400. Mas, mantém ali firme. Só que estas vendas são da Libertadores e da reta final do Brasileirão. A média de peças por mes do São Paulo é de 40 mil. No mês seguinte a eliminação da Libertadores, foram computadas 4 mil vendas em 2007, 8 mil em 2008, 8 mil em 2009. Ou seja, a queda é brutal! É atreladíssima ao resultado. Como todo clube, mas no SP há um exagero, eu diria.

E os outros?
Tenho o número do Flamengo de cabeça só. Lá são 100 mil peças/mes em fase comum. Quando caiu da Libertadores, teve queda, mas nada que se compare a vender 10% do normal, como o SPFC. Vendeu, por exemplo, 70 mil. É diferente. O Palmeiras 2009 vendeu quase 1 milhão de peças. Isso porque tinha a camisa 3 e o time liderou boa parte do Brasileiro. Mas some isso ao fato do clube estar ha 10 anos buscando o titulo. Então pesa. O Fla em 2009, em 5 meses, vendeu 1,3 milhões de camisas. É a euforia pelo titulo que não vem faz tempo, que também pesa, evidentemente.

Se você fosse patrocinador, investiria no São Paulo?
Depende. Comparado ao que? O SPFC quer 30 milhões. Se eu puder colocar 30 no Neymar, no Ganso, no Ronaldo ou no Adriano, prefiro do que colocar no SPFC, que só terá sua marca exposta no fim do ano com o titulo. Durante, tem aquela mídia normal de time grande, mas não tem o auê dos ídolos, do grande futebol, etc. Crise vende, cara! O SPFC não entra em crise. (risos)

Estes clubes aparecem mais que o SPFC na mídia?
Não é por ai. A questão é que futebol é um produto, e como todo produto ele tem que ser bom. O produto SPFC tem um FINAL FELIZ todo ano, mas não tem um ano cheio de ídolos, polemicas, pautas, craques, etc. Por isso, os outros aparecem mais durante boa parte do ano. Mas, como disse antes, o que vende aos tricolores é o caneco, e é nisso que o clube aposta.

Você traria um ídolo de peso?
Sem dúvida! Futebol é entretenimento.

O que você diria para os tricolores que passaram a te odiar depois da Estação Tricolor?
Que os entendo. (risos) Mas que eu trabalho, e isso é dificil entender.

Você puxa-saco da torcida do Flamengo?
Não… eu admiro muito! Ela, a do Corinthians, do Galo e do Grêmio. Gosto de todas, mas estas 4 pra mim são as “diferentes”. E eu sempre disse isso, inclusive na Estação Tricolor. Eu não escondo o que acho da torcida do Fla. As mesmas criticas que faço ao futebol do SPFC, já fiz ao Flamengo. As criticas que fiz ao Muricy, fiz pior com Caio Junior. As diretorias então, nem se fala. Já critiquei muito mais a do Flamengo que a do SPFC. O problema é que quando você critica o Flamengo muito flamenguista concorda que merece. Quando eu critico o SPFC sou um filho da puta que estou traindo a pátria. (risos)

Há um “ciumes” nessa relação?
Não. Há uma reação normal de torcedor de não querer ver um “representante” elogiando um rival ou enfatizando defeitos em seu clube. A relação imprensa x torcida é isso. Meramente isso. Hoje é até normal você ver um torcedor dizer: “Não leio esse cara, ele torce pra tal time”. E aí vem a contradição gigante do futebol. Se um jornalista é fluminense e critica o Flu, ganha respeito dos demais, mas vira um anti-cristo pros tricolores. Se ele é Fla e critica o Flu, é porque é Flamengo. E essa relação é imbecil, não devia existir. Você exige que o corintiano seja imparcial, mas exige que o jornalista que torce pro seu time seja torcedor. Deu no que deu… uma geração de merda que torce com o microfone.

A imprensa esportiva atual é ruim?
Péssima.

Por exemplo?
Sem nomes. Não critico colegas em especifico. Acho que o que a imprensa em geral faz, hoje, é de qualidade ruim. Mas sem nomes. Existem bons e ruins.

Você está entre eles?
Claro. Também falo merda, erro, me precipito…

E se sente mal quando erra?
Muito. E tento corrigir nos comentários seguintes. Mas as vezes não dá.

Cite um grande erro seu como comentarista.
Um só? (risos) O maior deles foi ter declarado meu time e ter trabalhado por ele. Sem dúvida.

O que você acha da fama do “Bambi”?
Engraçado.

Te incomoda?
Não, claro que não. É uma brincadeira, como Gambá, Urubu, Porco…

Existe torcida mais chata que a do São Paulo?
Empatada com a do Palmeiras. (risos)

São modinha?
Não, são exigentes demais. E tem mania de perseguição. Acham que a mídia toda odeia o time deles, que há um complô, que a imprensa é culpada de tudo, etc. Acho exagero, como acho exagero o que fazem com Luxa, Diego Souza, etc. Onde a organizada manda muito, normalmente dá merda. Sinto pelos bons palmeirenses que não pensam como a organizada, porém, não tem voz pra isso.

E a do Santos?
Não era só o SPFC o assunto? (risos)

Comparativo, ué… (risos)
A do Santos é uma torcida mais velha né. Mas que tem mudado pelas gerações recentes. Mas é pequena perto de São Paulo, Corinthians, Flamengo. É dificil comparar. Respeito o Santos demais por ser o único dos 12 grandes que não está num grande centro. Isso tem um mérito foda… E é o time do Pelé. Já não precisamos explicar muito. É um marco sem igual no futebol brasileiro.

Sua família é toda sãopaulina?
A enorme maioria. Mas tem um santista, tinha uma avó corintiana e um avô palmeirense. O resto é tudo tricolor!

Sem flamenguistas?
Sem. (risos)

Você tem produtos do São Paulo na sua casa como decoração?
Tenho. Minha sala tem uma bandeira do SPFC que pega a parede toda. O tapete de entrada da casa é do SPFC, toalhas, um cristal na mesa e relógios de parede, canecas, coisas de decoração. Minha casa é cheia de coisas do SPFC.

E de outros times?
Tenho uma caneca e uma bandeirinha do Flamengo na sala, que ganhei e guardo com carinho. Camisas de todos os clubes, copos, flamulas, faixas, etc. Mas isso tudo fica guardado pra quando eu tiver dinheiro pra construir minha casa e aí terei uma sala onde guardarei tudo que tenho de futebol. De todos os times. Quero muito isso.

Não sente mais raiva algum dos rivais do São Paulo?
Não, nenhuma. Passou quando comecei a trabalhar. Hoje até torço pro Corinthians ir bem, pro Palmeiras. Sinceramente… não ligo. Torço pro meu, mas não quero que ninguém “se foda”. Quero os 12 grandes sempre fortes, é fundamental.

Já torceu contra o São Paulo?
Já menti pra mim mesmo que o faria. Mas na hora… fodeu tudo! (risos)

Quantos anos você cuidou da Estação Tricolor e o que você tirou de bom e ruim  nisso?
Contando a SPNET, onde fazia rádio e coluna, fiz uns 5 anos de São Paulo direto. Tiro de ruim o quanto gastei de tempo e dinheiro pra no fim virar, pra muitos, um anti-sãopaulino. E de bom os amigos que fiz, o blog,  os momentos que passei no clube, os jogadores que conheci, os bastidores, essas coisas que sempre sonhei quando moleque.

Algo especial? Alguma passagem?
O dia em que fizemos uma capa motivacional no site, mandamos pros jogadores e eles receberam no café da manhã antes de um jogo importante. A capa era pós jogo, como se tivessemos ganhado e tal. E falava de todos eles, de quem foi bem, de quem fez gol, etc. Eles gostaram muito, vieram agradecer e tal. Me senti parte do resultado aquele dia, e é especial isso.

Fez amigos jogadores?
Não. Colegas. Amigos não.

Como é sua relação com Rogério Ceni?
Muito boa. Nos damos bem, conversamos muito quando eu ia lá todo dia. Ha 1 ano não o encontro. Mas sempre nos demos bem, ele é leitor das minhas colunas, critica, elogia.  Ele fez um vídeo uma vez onde me elogiou e eu fiquei muito feliz porque foi espontâneo. Eu nem estava lá quando ele gravou. É um cara nota 10 comigo, não posso reclamar. Sou fã dele.

É metido como alguns dizem?
Não acho ele metido. Acho que ele sabe o que representa. É diferente.

E como era você e o Muricy no dia a dia?
Não tinha isso. Eu não ia nas coletivas dele. Dava bom dia quando ele tinha a boa vontade de olhar pra cara das pessoas e só. Nunca fui na coletiva perguntar nada, e o entrevistei 3 vezes. Duas em ótimo nivel, ouvindo até elogios dele, e uma delas com patadas estupidas dele. É um sujeito bom, mas como profissional se perde completamente nas coisas que fala e no modo de agir.

Você o odeia?
Não. Juro que não! Eu não suporto o trabalho dele como treinador, e é meu direito. O que eu odeio nele é a forma que ele trata as pessoas. Mas como pessoa, fora do futebol, ele é amigo da minha família pô! Eu não o encontro, mas ele é uma boa pessoa, tenho certeza.

Ele fez bem ao SPFC?
Olha cara… Como o Dunga, ele fez o que pediram pra ele. Vai lá e ganha. Ele ganhou. Claro que fez bem.

O melhor treinador que já dirigiu o SPFC?
Não sei dizer.

Telê?
O Telê cara… é estranho dizer isso. Ele foi genial no SPFC. Mas a carreira dele é cheia de problemas, e as pessoas não lembram, mas ele saiu do Tricolor xingado pela torcida. Eu gosto muito dele, mas tenho também algumas ressalvas porque não acho que ele é o cara daquilo tudo. Acho que tinha um grupo foda na mão e um líder que destoava do resto. Acho que há um exagero com ele no SP e um menosprezo por ele fora do SP. Fico com o meio termo. Genial, ótimo, ídolo! Mas não consigo cravar o melhor. Te digo que ele é o mais importante. Melhor, não sei. Deve ser.

O melhor goleiro?
Zetti.

E o Ceni?
Fica sendo melhor capitão, ok? (risos)

Lateral.
Cafu

Zagueiros.
Oscar e Dario.

Lateral esquerdo.
Leonardo

Volantes.
Pintado e Cerezo.

Meias.
Raí e Pita.

Atacantes.
Careca e Muller.

Ninguém recente?
Não dá. Estes foram foda. E o futebol era outro. O futebol atual é tosco.

Você tem ídolos no futebol atual?
Jogando ainda? Acho que sobrou o Ronaldo viu…  E o Drogba, claro! (risos)

Tá ruim a safra?
Porra meu! O Cristiano Ronaldo é o melhor do mundo! O Renato Gaúcho jogou mais que ele e nunca foi citado pela FIFA! Tá brincando? O porra do Messi não faz nada na seleção, só brilha no clube há 2 anos e já é considerado Deus. Esses caras tão malucos!

E o Drogba?
Esse é foda! Idolo! (risos)

Aliás, se você pudesse escolher um jogador qualquer do mundo pra jogar no São Paulo…
Drogba!

Porque?
Eu gosto demais dele. Chama a responsabilidade, é marrento, se garante, não foge do jogo, cabeceia, dribla, chuta bem. É ótimo na função dele.

Melhor que o Luis Fabiano?
Fala sério vai…

O que você acha do Kaká pro SPFC?
Um jogador de futuro, que não fez grande coisa aqui e saiu pela porta dos fundos.

Porque?
Porque ele foi feito pra dar grana ao clube. Não deu titulos, sumiu em todas as decisões quando passou a ser titular, e quando teve oferta disse: “Me vende se não eu saio de graça”. E saiu, quase de graça.

Não gosta dele, então?
Gosto… jogando. Mas como ex-tricolor, pra mim não significa nada. O Simplicio fez mais que ele pelo São Paulo.

Um jogador que você odiou ver com a camisa do São Paulo?
Tardelli, Ricardinho, Luis Carlos, Marcelinho Paraíba….

Quem é Luis Carlos?
Um meia que veio em 96 do Atlético PR e o Muricy disse ser o novo Rai. Jogava merda nenhuma…

A maior vitória do São Paulo que você viu no estádio:
SP 1×0 Newlls Old Boys. Sem dúvida. Chorei feito um cretino aquele dia… Foi foda.

A maior derrota:
SP 1×0 Velez, onde perdemos nos penaltis.

Morumbi na Copa:
Sem comentários.

Acha que o SPFC errou?
Claro! Como se manda a porra de um projeto pra FIFA sem que você saiba o valor dele????? Como você aprova algo que não pode pagar?

Houve politicagem?
Houve. E ai? Não houve quando o SP trouxe o Kassab pra dentro do clube? Quando meteu o Marco Aurélio na politica? Isso é viadagem! Há politicagem todo dia, a favor e contra. Se o SPFC tivesse feito uma porra de um projeto de 300 paus e mostrado pra FIFA SEM ABERTURA, estaria na Copa. Mas, insistiu na abertura e foi lá aprovar sem saber quanto custava. Perdeu, fazer o que?

Tem volta?
Acho que tem. Mas que o SPFC errou eu não tenho dúvidas! Aliás, vamos falar a real. Gosto dele, respeito, boa pessoal, mas o Adalberto no marketing não deu muito certo né… O Julio fez chover, ele tá fazendo secar.

Perrone, muito obrigado cara. O papo foi ótimo, acho que a galera do seu blog vai gostar mais do que meu professor do TCC, inclusive.
(risos) O importante é passar de ano, né irmão? Se der média 7 já era. Vamo que vamo.

Aliás, uma última pergunta… Você trocaria o título da Libertadores pelo hexa do Brasil?
Sim. Eu acho mais importante um título de Copa do que um titulo de clube. Mas é óbvio que o torcedor prefere o contrário. Agora, que não tem nada igual ser campeão com todos e não com alguns, isso não tem. É delicioso ver o Brasil ganhar, é diferente. Eu não troco. Mas, entendo, só eu. Todos trocariam. (risos)

Valeu, Rica! Boa sorte no blog e pra nós na Libertadores.
Valeu, rapaziada.

abs,
RicaPerrone

Comentários