Fico absolutamente constrangido quando noto que, em 2019, algumas pessoas que trabalham no futebol ainda não notaram do porque é tão apaixonante. Pra alguns é caso de ganhar ou perder, o placar diz tudo.

E se diz tudo, que fique quieto. Pois já está dito.

Hoje cedo me deparei com uma manchete na Globo dizendo que o empate no Morumbi foi “brincar com a cara do torcedor”.

É foda.  Mas vamos lá.

Primeiro que o CSA se propôs a não jogar, esperar uma bola, aconteceu e por isso o empate. Como deve ter acontecido umas 6 milhões de vezes no futebol o time menor tentar impedir o jogo e jogar por um contra-ataque.

Segundo e mais importante: o SPFC jogou uma partida consideravelmente melhor do que vinha jogando. Finalizou 30 vezes, sofreu com 2 chances de gol contra 9 criadas.

Se isso não é ter um bom desempenho, voltemos ao placar. E pra comentar placar basta um poste.

Não acho o resultado bom, nem normal. Menos ainda acho que um time que correu até o último minuto criando oportunidades esteja brincando com a cara de alguém.

Desrespeitoso, covarde até eu diria. Sem contar com o a absoluta falta de respeito ao CSA.

“Ah mas tá na zona de rebaixamento!”.  O Cruzeiro também está.

Ontem vi um resultado ruim num jogo onde o treinador escalou perto do time que a torcida queria, com um primeiro tempo massacrante, só que a bola não entrou.

As vezes entra, as vezes não. Fosse óbvio seria basquete. Amamos porque não tem lógica.

Ao contrário do que um simples placar, o despeito e desrespeito de jornalistas sobre um time por um resultado, o que vi ontem foi evolução. Jogou bem mais do que vinha jogando. E só não saiu do Morumbi com 6×1 a seu favor por detalhes que fazem do futebol apaixonante.

Péssimo resultado. Não uma péssima atuação.

RicaPerrone

Compartilhe!