Sim, esse é o título da nota porque é o que penso de quem está tentando aproveitar de um episódio isolado e fora do contexto pra me detonar. É duro me detonar, eu entendo. Não piso fora da linha, não dou margem pra quem me odeia. Então qualquer chance vira um inferno.

Aos fatos, e aos idiotas.

Fiz um texto onde cito o que acho que o Fluminense deveria fazer sobre a proposta do rival Flamengo. Nele, inclusive, digo que o Flamengo está certo no que está fazendo.

Torcedores ignorantes, burros ou mal intencionados não leram o texto e criaram uma corrente pra me agredir no twitter como se eu estivesse dizendo que o Flamengo está fazendo algo errado em tentar o jogador. Mas compreendo o analfabetismo, embora lamente.

Recebi cerca de 400 ofensas de todos os lados. E como faço sempre, longe dessa idéia idiota e moderna de que o bom ser humano é o que é agredido calado, respondi todas no mesmo tom.  Só que 399 eram homens, ninguém se revoltou.

Aí uma garota me chamou de desonesto, dizendo que eu agia de má fé, que eu era covarde. Respondi igualmente a todos os homens. “aprende a ler sua puta” (até saiu um i pq usei o ditado). Como escrevi uns 200 “aprende a ler seu cuzao” pra quem me ofendia até então.

Esse dá pra lacrar. Então vamos usa-lo.

Os outros 300? Não tem problema. Nem vimos. Mas esse, como é mulher, tá na moda e fode ele, vamos usar.  A pessoa que ofendeu foi ela. Eu reagi. Se fosse machismo eu teria ignorado os 400 e respondido só a ela. Ao contrário, ofendi de volta 300 homens e uma só mulher.

Mas a covardia de um grupo de torcedores que não aceita sua opinião é algo muito sério. A vida de alguns destes desocupados é estar no twitter tentando alguma voz. Frouxos, deturparam e fingiram que eu a troco de nada, ignorando o massacre que me fizeram, sai dando porrada nos outros.

Mentira. Óbvio! Mas não me espanta. Eu sou especialista em redes sociais há 15 anos. Me fiz nelas. Fui o primeiro a fazer minha carreira “só” nelas.  Sabia o que ia gerar, sei o que vai acontecer e quanto vai durar.

Mas é parte do show. Como é parte importante que aquele percentual grandioso que não comenta e só consome tenha o direito de ler o que houve sem ser da boca de um grupo motivado a me detonar por clubismo.

Sem problema. Amanhã a bola entra, e eu passo a ser bom porque não discordei e sim exaltei a vitória. E daqui 1 mes viro um canalha desonesto de novo, talvez da boca de uma mulher de novo, porque não achei pênalti.

Pivetada, de onde eu vim e na época que cresci quem xingava ouvia de volta. Não faço parte da geração de vocês que chama os amigos em bando, nem da de Jesus que dava outra face.

Nada vai mudar. Ninguém me chama de desonesto e eu fico mudo. Nem sou cuzão de processar alguém por xingamento em internet.

  • Nao teve qualquer critica ao Flamengo
  • Não houve machismo pois todos foram respondidos igualmente
  • A agressora foi a mulher que me acusou de desonestidade e covardia
  • Não xinguei ninguem que não tenha me xingado
  • E meus twittes sao apagados todos os dias em horarios aleatorios ha 2 anos ou mais.

Boa tarde. E procurem o que fazer.

RicaPerrone

Compartilhe!