Segue o Fluminense “inexplicando” o futebol.

O time que criava 30, hoje cria 3. O que não fazia nenhum, hoje faz um.

A sorte que se negava hoje sorri. Até frango tem pra ajudar.

Se João de Deus havia abandonado, Sobrenatural de Almeida voltou pra ajudar.

O Z4 que era fato até o final virou passado em 3 rodadas. E embora o medo exista e seja provável que por ali esteja até o final, nem mesmo com muito otimismo se imaginou fechar o turno fora dele.

Não, o Fluminense de hoje não joga mais que o do Diniz. Ao contrário. Joga consideravelmente menos. Mas a bola entrou em 2 dos 3 jogos.

E nos dois casos fazendo o que com ele faziam. Uma bola, um lance, fim de papo.

Talvez o Diniz seja muito azarado. Talvez o Oswaldo seja muito bom. Talvez seja o Flu e sua vocação pra deixar a história sem rumo.

Fato é que os 30 chutes a gol sem gol mudaram de lugar. Foram pro Morumbi.

Nas Laranjeiras, agora, basta uma chance.

Desde 2009 o futebol já sabe. Dê tudo ao Flu, menos uma chance. Porque se houver uma, ele vai usar.

RicaPerrone

Compartilhe!