Futebol

Ainda será o Maracanã

Tenho um certo receio quando ouço falar em “obras num estádio”.  Você pode mexer, modernizar, derrubar, levantar outro, tanto faz. Ele não será mais o mesmo se a obra for grande. Desde que seja pra melhorar, ótimo.

Mas quando falaram em gastar 700 paus no Maracanã, confesso que temi pelo que seria imperdoável: Mudar sua cara. Ontem sairam as fotos do projeto e, pelo jeito, não cometerão o crime de desfigurar o mais importante estádio do mundo.

Você pode jogar Wembley no chão e levantar outro, não tem problema. Pode fazer isso com o Camp Nou, com o Santiago, outro estádio qualquer no Brasil.  Pode derrubar o La Bambonera, pode pintar o Defensores del Chaco de rosa. Tanto faz.

Mas o Maracanã, não.

Ali está muito mais do que um campo e arquibancadas. Ali passa o maior desastre do futebol brasileiro e em seguida as maiores glórias dele. Os gols de Pelé, as finais do Santos, os anos dourados do Flamengo, do Flu, do Botafogo, do Vasco, da seleção.

Ali foi feito o milésimo gol do Pelé, e quando alguém lembra do Brasil imediatamente vem a imagem do Cristo e em seguida do Maracanã. Não estamos orçando obras num estádio, mas sim num cartão postal único e absolutamente intocável.

Vai pintar o Cristo? Vai baixar os braços dele? Não, né?

Então, mesma coisa pro Maracanã.  A estrutura tem que ser semelhante, as arquibancadas mantidas num formato parecido e a visão de fora igual a atual, no máximo “melhorada”.

E o projeto respeitou isso.

O novo Maracanã tem cara de Maracanã. Mesmo com aquelas cadeirinhas insuportáveis que a FIFA exige, não tem problema. Quando voltar pro nosso futebol eles vão quebrar e deixar tudo como a gente gosta.

Brasileiro não assiste jogo sentado. Pode meter 200 cadeiras lá, eles vão quebrar só de pular em cima. Mas isso, espero, eles vão mexer após a Copa. Até lá, vamos fingir que somos europeus e que gostamos de aplaudir lateral.

O projeto é lindo e, principalmente, forte na raíz. Eles conseguiram desenhar um novo Maracanã que é apenas o Maracanã.

E isso não tem preço.

Ou tem, 700 mangos. Mas… é Copa. Ao contrário de muitos, acho válido o investimento nos estádios, pois através deles teremos Copa, e através dela melhorias em todos os setores.

Já que não vai pelo dever, que vá pelo futebol. Mas alguma coisa tem que fazer isso tudo andar.

abs,
RicaPerrone

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar