Eu não gosto do futebol covarde, não suporto a idéia de time grande atuar de forma mediocre. Entendo, porém, que nos dias de hoje a seleção é um caso a parte. O futebol é altamente físico, tático e coletivo, não a toa seleção nenhuma joga porcaria nenhuma há tempos.

Foi uma Espanha em 2 temporadas, uma Alemanha em uma e olhe lá.  O futebol entre seleções caiu demais em virtude da mudança do jogo.

Mas se é pra ir a um torneio, se haverá preparação curta, se eu preciso equilibrar ao máximo e me dão 3 nomes pra desequilibrar o jogo, devo caprichar na escola. Sabemos, eles podem decidir.

Aliás, lá estarão pra isso.

Mano, o oposto extremo do Dunga, que foi injustiçado com um time que jogou uma boa Copa e perdeu no detalhe para um outro grande time, quer inventar um mundo paralelo onde só ele vive.

A seleçào dele é a “Terra do Nunca”. Só ele enxerga que alguns caras podem estar lá, mas tudo bem, eu sou justo, não assisto campeonato Russo, Turco, não sei como tá esse ou aquele e as vezes nem quem são. Portanto, confio na convocação e aguardo pra ver.

Mas numa lista de possíveis “desequilibradores” de Olímpiadas, com 16 nomes, surgir Ronaldinho Gaúcho, Fernandinho, Hulk, Luisão, Adriano reserva do Barcelona e Hernanes, aquele que não se firmou na seleção ainda?

Eu não consigo achar a lógica, juro.

E nem é má vontade, gosto do Mano, o defendi por um ano. Mas hoje vejo que o sujeito se perdeu no meio das criticas.

Todo técnico de seleção precisa entender que não é pra ouvir o que a imprensa quer, nem o oba-oba da torcida, menos ainda o que querem os dirigentes.  Um meio termo, o ponderável do imponderável futebol.

Dunga fez o dele, bateu de frente e foi do primeiro ao último dia com sua convicção. Perdeu? Perdeu. Mas a seleção fez boa Copa e saiu por detalhes, erros individuais, falhas de jogo e, também, mérito alheio, algo que não costumamos considerar.

Dunga não era amigo da imprensa e talvez por isso tivesse menos medo de porrada. Mano é educado, e adoro que seja.

Deixar que os outros falem é uma coisa, ouvi-los é outra.

Não conheço casos de sucesso onde o líder ouviu demais. Mano ouve demais, muda demais de idéia, perde demais a linha.

Mano piora sua situação cada vez que convoca 23 pra um amistoso.

Não me espanta ter sido tão bizarra a sua escolha nos 52.

Os convocados: (Negrito os acima de 23)

[tabgroup][tab title=”Goleiros”]Diego Alves (Valencia), Gabriel (Cruzeiro), Jefferson (Botafogo), Julio César (Inter de Milão), Neto (Fiorentina), Rafael Cabral (Santos) e Renan Ribeiro (Atlético-MG)[/tab][tab title=”Zagueiros”]Bruno Uvini (Tottenham), David Luiz (Chelsea), Dedé (Vasco), Juan (Inter de Milão), Lucas Mendes (Coritiba), Luisão (Benfica), Marquinhos (Corinthians), Romário (Internacional) e Thiago Silva (Milan).[/tab][tab title=”Laterais”]Adriano (Barcelona), Alex Sandro (Porto), Daniel Alves (Barcelona), Danilo (Porto), Fágner (Vasco), Gabriel Silva (Novara), Galhardo (Flamengo), Marcelo (Real Madrid) e Rafael (Manchester United).[/tab][tab title=”Meias”]Allan (Vasco), Elias (Sporting), Fernandinho (Shakhtar Donetsk), Fernando (Grêmio), Rômulo (Vasco) e Sandro (Tottenham) Bernard (Atlético-MG), Douglas Costa (Shakhtar Donetsk), Dudu (Dínamo de Kiev), Elkeson (Botafogo), Paulo Henrique Ganso (Santos), Giuliano (Dnipro), Hernanes (Lazio), Lucas (São Paulo), Oscar (Internacional) e Philippe Coutinho (Espanyol).[/tab][tab title=”Atacantes”]Alexandre Pato (Milan), André (Atlético-MG), Henrique (Granada), Hulk (Porto),Jonas (Valencia), Leandro Damião (Internacional), Neymar (Santos), Ronaldinho Gaúcho(Flamengo), Wellington Nem (Fluminense) e Willian José (São Paulo).[/tab][/tabgroup]

abs,
RicaPerrone