Não é um dia pra contestar, nem pra se empolgar. A seleção alterna bons momentos com claros momentos de desequilibrio nos jogos e isso não pode acontecer em mata-mata.

Vou ser prático, fazer por tópicos e simplificar o que eu penso do time até aqui.

Coutinho:
Sua entrada como meia é a pior coisa que aconteceu ao time. Para que ele atue nessa posição o Tite desequilibrou todo o time voltando o William na direita, prendendo mais o Paulinho e perdendo altura e recomposição defensiva no lado justo do Marcelo. Coutinho pode jogar como vinha nas eliminatórias: na direita.  O time fica equilibrado com Renato e Paulinho apoiando os lados direito e esquerdo, Casemiro centralizado, e dois jogadores leves nas pontas.

Neymar e Coutinho:
Quanto mais o Coutinho joga perto da área, mais ponta o Neymar vira. E quanto mais o nosso melhor jogador se afasta do gol, menos gols eles faz.  Vale tudo isso apenas pra ter o chute do Coutinho de fora da área?

William:
Está mal. O time com Coutinho ali voava. Não tem porque não mexer após testar e não funcionar.

Jesus:
Isolado, preso, precipitado e não está rendendo nem como fazedor de gols nem como pivô. Hora de testar Firmino.

O time:
O mesmo que se tornou inquestionável até a Copa. Não tem motivos pra mexer e insistir num time que oscila tendo um pronto e testado em casa:  Casemiro,. Renato, Paulinho, Neymar, Coutinho e Jesus (Firmino).

Dito isso, boa noite e que venha o México!

abs,
RicaPerrone

Compartilhe!
  • 19
    Shares