Home » Futebol » Clubes » Flamengo » A maldita taça de bolinhas

A maldita taça de bolinhas

A CBF anuncia que, em breve, terá um fim para a polêmica discussão inutil da taça de bolinhas. Aquela que, por direito no campo, é do Flamengo, por direito na lei, é do SPFC.

Aquela que, por critérios e valores muito comuns na educação que tive em casa, deveria ser dada ao Flamengo, principalmente pelo SPFC, mais do que pela CBF, que é vítima neste caso da sua própria burrice e politicagem.

Sugiro, como já fiz há tempos, que o Tricolor tenha a postura mais digna e respeitável possível, que seria a de bancar o que assina e o que faz. Que ignore a choradeira de torcedores apaixonados e, portanto, cegos, e que haja conforme suas tradições, não conforme sua ganância por disputas imbecis.

O campeonato de 87, o melhor que já tivemos, diga-se, foi criado pelo SPFC e pelo Flamengo, principalmente. Campeonato que, por coerencia, não aceitou as ordens da CBF e cumpriu o que havia sido acordado entre eles, tendo, inclusive, a bela atitude do Inter, que bancou o que disse e perdeu a chance de ser campeão caso fosse a campo contra Sport e Guarani.

Campeonato que, após encerrado, teve o aval até de Eurico Miranda dizendo que o campeão era o Flamengo. Teve assinatura do São Paulo, dizendo que o campeão era o Flamengo. Teve assinatura de todos eles, menos da CBF, que por politicagem não podia mais mudar o que havia assinado, já que neste caso a assinatura tinha valor legal, ao contrário das dos presidentes de clubes, que era uma assinatura mais ética do que legal.

Mas, infelizmente, a palavra vale menos do que um papel. Para alguns, ainda não.

Ao fazer a camisa “penta unico” o SPFC foi de uma falta de ética enorme. Com o Flamengo? Não, com sua historia, seu passado e com o que assinou. Aquele campeonato que ajudou a criar, e que hoje, por comodidade, renega.

Juvenal foi ao Juca Kfouri e disse que não dá a taça ao Flamengo porque “me matariam no clube”, brincando com a pressão do conselho e da torcida. Lamento, mas para um ditador que manda sozinho, o argumento da pressão não cabe muito, né Juvenal?

Em 87, você assinou. Em 2010, deveria honrar a camisa que representa e confirmar a assinatura.

Então, pela grandeza do SPFC, pelos valores que o clube carrega em sua história, nada mais bonito do que receber a taça das mãos da CBF e repassar ao Flamengo numa postura ética, correta e digna de quem reconhece o que faz, assina e diz.

Assim, quem sabe, o futebol brasileiro passaria a entender melhor que 12 grandes juntos formam uma potencia muito maior do que 12 amadores brigando entre si por besteira.

Essa taça é do Flamengo. E o SPFC sabe disso.

Então, faça o simples. Seja grande.

abs,
RicaPerrone

Comentários