Eu seria capaz de contar o jogo de hoje sob a reação de uma torcida ainda viciada em estaduais e torneios de futebol convencionais. O Flamengo sofreria o 2×1, perderia o Diego, surgiriam as vaias ao Cirino, o pânico na arquibancada, a insegurança no time e… 2×2.

Arrisco até que seria gol do Grafite. De cabeça, numa falha do Rever, talvez.

Crise. Zé Ricardo ameaçado, a vaga nas oitavas “por um fio”, o Rodrigo Caetano na corda bamba e “O Brasileiro é obrigação”.

Ah, Flamengo… você as vezes é tão previsível.  Mas não é que, “hoje não”?

Talvez pelos anos passando vergonha no torneio, talvez pelos exemplos recentes de Galo, Corinthians e outros brasileiros, o rubro-negro pela primeira vez na vida jogou uma partida de Libertadores.

Sim, “jogou”. Porque a idéia de que torcida em Libertadores assiste jogo é ignorância. Torcida joga, empata, perde, vira, sofre falta, toma cotovelada e também dá.

Faz 38 anos que eu vejo o flamenguista não entender a diferença de um torneio pra outro.  A cobrança é na mesma proporção do apoio, e isso faz do Flamengo uma bomba relógio pro bem e pro mal.

Hoje, repito, pela primeira vez, eu vi a torcida do Flamengo jogar uma partida de Libertadores.

É Cirino? Então aplaude! É Gabriel? Então é craque!  Tá feio? Foda-se! É 2×1, no sufoco, com emoção, alterando bons e maus momentos.  É Libertadores!

Vaia domingo. É estadual, dá tempo.  Faz analise na terça que vem. Tanto faz.  Mas em dia de Libertadores, apenas jogue. Porque quando você quer jogar, flamenguista, você joga pra caralho.

abs,
RicaPerrone

Compartilhe!
This error message is only visible to WordPress admins

Error: Access Token for ricaperrone is not valid or has expired. Feed will not update.

There's an issue with the Instagram Access Token that you are using. Please obtain a new Access Token on the plugin's Settings page.
If you continue to have an issue with your Access Token then please see this FAQ for more information.