Home » Futebol » A bola puniu de novo!

A bola puniu de novo!

Primeiramente, parabéns ao Palmeiras. Levaram 6 meses para fazer o que o SPFC levou 42. Caiu o treinador “bom pra caramba”, que “trabalha com o que tem”, que “não reclama”, que “não fala de arbitragem”, que “ganha pouco”, e que “não faz marketing”. Ou seja, o Deus supremo do futebol está sem emprego. Por pouco tempo, afinal, o Náutico tá sem treinador.

Muricy fez no Palmeiras EXATAMENTE o que fez no SPFC. Mas lá, não tinha Juvenal pra bancar e nem pra ir no vestiário dar bicho em dinheiro pro time ganhar 3 seguidas. Não tinha amigão nenhum pra segurar emprego e nem a mania de esperar 8 meses por ano para ver futebol.

E quando digo exatamente, não é modo de falar.

Conseguiu não ganhar do maior rival com um jogador a mais os 90 minutos quase. No SPFC, ele conseguiu empatar com o Corinthians contra 9 jogadores.

Tomou de 4 do São Caetano em casa, igualzinho no SPFC.

Fez do futebol do time um festival de cruzamentos e bicão pra frente.

Mudou a posição dos caras pra dizer que não tinha elenco. Jogou nas costas da diretoria, de forma bem discreta, a culpa por tudo dar errado.

Disse não fazer marketing, disse ter tido propostas, disse que é isso, que é aquilo, que é o tal.

Pois é. Lá, no Palmeiras, como o elenco era menos numeroso, nem no pontos corridos funcionou. No SPFC, vide Ricardo Gomes, qualquer treinador vai bem nos pontos corridos.

Muricy, o sujeito que perdeu o Brasileiro de 2005 pro Paraná e pro Coxa já rebaixado, que ao ganhar o Gauchão perdeu a final pro Caxias e só venceu na prorrogação, e que só venceu o América RN num jogo decisivo pelo SPFC em 4 anos, agora está na rua.

Não apenas demitido, como também aos poucos desmascarado.

A imprensa não acha mais “engraçado” o seu jeito estupido e covarde de ser. Ja se irrita.

Os clubes já pensam 2 vezes sobre a imagem do treinador perante a torcida e a mídia, já que a educação não passou ali.

Fez péssimo trabalho no Palmeiras, e lá não tinha padrinho pra segurar até o pontos corridos chegar. E mesmo que chegasse, não tinha 30 jogadores de bom nível no elenco pra segurar.

E se tivesse, diria que não tem. Como fez em 3 anos de SPFC.

Seu trabalho é uma cópia do Parreira, que acha que futebol é ciência exata. Você não toma gols, dá um bico lá na frente, vira o alto de costas pro gol e acha um de bola parada. Pronto, 1×0. Venceu.

Isso não é futebol. É covardia. São coisas bem diferentes.

Agora, sem emprego, o professor vai rir na Tv e dizer que “tava precisando” de férias. Afinal, só ele trabalha, só ele é honesto, só ele entende de futebol e só ele não tem medo de “porra nenhuma”.

Agora vai pra casa.  Lá, diga pra sua esposa que só você sabe lavar e passar, diga pros seus filhos que eles serão improvisados de sobrinhos, explique pra empregada que ela não sabe porra nenhuma e depois, ao anunciar pro prédio que tem propostas para ser síndico em Dubai, diga que não é marketeiro.

O tempo mostra a verdade. E a bola pune.

Paulo Barros, já que você gosta tanto de internet, sugestão de samba e enredo pra 2011: “É mata-mata, não ganho de ninguem! Sou teimoso e vou além! Improvisar até cair, e o povo grita É Muricy!”, Vai Tijuca!!! 

abs,
RicaPerrone

Comentários