Home » Futebol » Clubes » Flamengo » O circo das bolinhas

O circo das bolinhas

Momentos finais da mais longa decisão da história dos campeonatos de futebol.  A Copa União 87, ou Brasileirão, como queiram, está prestes a ter um final, seja ele qual for, patético.

Eu já fui bem claro sobre o que penso a respeito. O Flamengo é campeão, não perco 1 segundo do meu tempo pra ouvir opiniões contrárias pois elas simplesmente não se baseiam em NADA.

Seja qual for seu time, desde que seja um grande, ele assinou o título do Flamengo. Concorde você ou não, seu time assina embaixo.  E se não mais, lamente pela postura do seu clube.

A história que vemos hoje pode ser resumida da seguinte forma:

O Flamengo e o Inter cumprem o combinado e não encaram Guarani e Sport, que por sua vez, nanicos que são, fazem marmelada na final do módulo e ninguém condena.

Oportunistas e pouco corretos, alguns passam a adotar o discurso de que o legítimo campeão é aquele que a CBF escolheu.

CBF que, pros mesmos, é uma entidade sem credibilidade.

Mas falamos de futebol, e quando o tema é esse, apenas tem credibilidade o que me convém.

O SPFC pisa no seu passado e em troca de uma taça nega o que criou e assinou.

O Sport, campeão na justiça porque em campo jamais seria, fica gritando aos 4 cantos que tem um título nacional.

Quem viu, nem discute.

Quem ouviu falar, pilha o assunto.

Quem tem interesses, muda o discurso.

Mas os fatos são fatos. Ninguém vai mudar.

O SPFC assinou, o Sport assinou, o Clube dos 13 assinou. O Flamengo é o campeão brasileiro de 87. Um dos melhores campeonatos que já tivemos, diga-se.

Se depois de 20 anos o São Paulo não se importa com o que assina, se agora a diretoria do Sport nao se lembra ter aceitado dividir o título legalmente, e se é mais interessante pra imprensa não carioca ficar do lado do Sport, tanto faz.

É fácil demais ser maioria nessa hora. E a maioria, claro, não quer ver um rival com mais um título.

Mesma maioria que, sejamos francos, não está nem aí se o Sport tem ou não o que comemorar. É fácil argumentar pela dó e não pela razão.

O pequeno sempre vítima, o grandão sempre vilão.

Nessa história toda há um clube que não foi vilão: O Flamengo.

A CBF conduziu porcamente a história toda, desde 87. O Sport foi tosco e mediocre nos últimos anos, quando passou a se achar campeão brasileiro. Uma mentira repetida 200 vezes vira verdade.

O São Paulo foi oportunista e Juvenal está prestes a pagar um micão enorme ao pegar uma taça, todo feliz, e depois ter que devolvê-la.

Não deveria ter ido buscar. Pois não era dele. E se fosse, descumprindo o que o clube assinou no passado, não deveria expor campeões de alto nível como Zetti e Rogério Ceni para fazer cena ao seu lado.

Lamento pelos dois, vítimas da prepotência e falta de caráter dos nossos dirigentes.

Presidentes que não respondem por administrações passadas são os mesmos que, orgulhosos, citam as conquistas dos mesmos quando lhes convém.

Não se trata de defender o Flamengo ou quem for. Trata-se de defender a coerência, a justiça e a ética.

Afinal, o que buscamos?

Uma Liga. Lá estava ela!

Uma união entre clubes. E a chance estava lá, mas preferiram vender camisa comemorativa.

Lamentáveis dirigentes que mancham a história de seus clubes.

O Flamengo é campeão de 87, sempre foi. Não muda nada o que diz a CBF.

São Paulo, CBF e Sport deveriam ter vergonha do que fizeram sobre o assunto.

Defender uma tese na justiça é moleza. Duro é bancar o que assina.

Torcedor, não seja bobo. Essa briga idiota em “defender” o seu clube é, na verdade, um atestado de babaquice que os dirigentes adoram ter para poder continuar brincando de administrar clubes.

Peça coerencia, honestidade e ética. Só assim, amanhã, não será o SEU clube o enganado pelo oportunismo alheio.

abs,
RicaPerrone

Comentários