Home » Futebol » Seleção » Vivendo e aprendendo

Vivendo e aprendendo

Hoje aprendi muita coisa. Quero dividir.

Aprendi que quando um entrevistado diz “não vou” é preciso perguntar mais 9 vezes se de fato ele não vai para que, na última, quando irritado, eu diga que ele foi mal educado.

Aprendi que o que a maioria quer não é uma direção mas sim estar sempre na contra-mão. Se Mano está lá, é pra tirar. Quando tira, era pra deixar.

Aprendi que as teses que caem são sempre as que interessam a mídia, não as que de fato cairam. Andres foi dizer pra todo país que foi voto vencido. Aqueles jornalistas que insinuaram e envenenaram o torcedor dizendo que o ex-presidente do Corinthians mandava na CBF não deram ênfase alguma ao fim de suas teses.

Aprendi que ser campeão do mundo pela seleção é a mesma coisa que ganhar o torneio de ping pong do bairro. Ao sugerirem Felipão, mais do que ser contra, muitos debocham e menosprezam, como quem fala de uma promessa ou de um fracassado personagem do nosso futebol.

Aprendi que entrevista coletiva é o primeiro passo para uma péssima entrevista. Sentado diante de 30 pessoas, sendo 10 estagiários, 5 mal intencionados, 5 puxa sacos e outros 10 bons jornalistas, qualquer sujeito fica acuado e se defende agredindo.

Aprendi que não interessa a resposta que é a dada mas sim o tom com que o entrevistador é tratado. Andres disse o que muitos não diriam: “Foi contra”. A única coisa que ouviram foi ele ter sido grosseiro e impaciente.

Aprendi que o Mano era ruim ontem, vai acordar gênio amanhã.

Aprendi que é possível um assunto parar o pais para fazer com que todos discutam a questão e ainda assim ver alguém dizer no fim: “Este assunto não é mais de interesse popular….”.

Aprendi que ainda tenho muito o que aprender.  Mas a ter paciência e fechar os olhos pra não causar nenhum “mal estar” entre colegas eu ainda não consegui.

Eu chego lá.

abs,
RicaPerrone