Home » Futebol » Clubes » Palmeiras » Um Palmeiras menos Palmeiras

Um Palmeiras menos Palmeiras

Eu já desisti de entender a torcida do Palmeiras.  Vou tentar entender o clube, talvez seja mais fácil.   Com uma sequência indigna de sua grandeza há alguns anos, aposta em seu ídolo para corrigir tudo em busca de um título na base do “deus me livre”.

Sim, Felipão é um técnico que, hoje, quer achar um título de falta em falta, com jogadores mediocres porém obedientes, com foco 101% no resultado e dane-se o nivel de cobrança do que representa.

Eu não costumo aplaudir isso. Achei os Brasileiros de pontos corridos do SPFC mediocres, do mesmo modo que entendi a dose necessária de pragmatismo do Flu em busca do seu.

Entenderei se o Palmeiras buscar algo desta forma, afinal, a espera ja começa a refletir em acordos, mídia, dinheiro, etc.

Felipão gostsa de futebol à gaúcha. O Palmeiras precisa disso neste momento.  É a busca simples por um título, venha como vier.

Problema é que isso tem deixado de ser uma situação emergencial e, para alguns, virado “o Palmeiras”.

E não, o Palmeiras não é um clube que forma times mediocres em busca de resultados mediocres.  Não é um clube que aceita o mínimo possível.

Sua torcida bipolar, que tem uma cara perante o clube e outra com ele nas costas, já não sabe qual é o perfil.  Quando de frente pra mídia e rivais, culpam Deus e o mundo pelos fracassos. Quando de frente pro clube, protestam loucamente contra tudo e todos.

Sabemos que a imprensa não faz gols, nem que a CBF a FPF ou seja lá quem for esteja armando um complo contra o Palmeiras. Sabem,os que não. Mas as vezes, pra camuflar, fingimos que sim.

E é ai que se perde o Palmeiras.

Felipão… foi penalti.

Discutivel ou não, foi penalti. Na pior das hipoteses, duvidoso. Não é caso para fazer 10% do que está fazendo. É showzinho, é teatrinho, exatamente como o Leão fez pré-jogo. Não condiz com a grandeza da camisa que veste.

Quem se acha perseguido é time pequeno. O Palmeiras não cabe nesta alternativa.

Felipão já ganhou tudo que um sujeito poderia ganhar no futebol. Satisfeito? Não, quer mais. Digno de aplausos, mas era de se esperar uma atitude mais madura e serena de um multi campeão em fim de carreira.

Não é o caso.

Empatou, dois belos gols de bola rolando, algo raro. Houve evolução. Pra que o drama?

Pra que o empate tem que virar “cara de derrota” no fim?

Digo, há tempos, e repito pouco por não ter paciencia de lidar com a reação alvi-verde a qualquer não-elogio (e convenhamos que anda duro elogiar), que os problemas do Palmeiras começam e terminam no Palmeiras.

Mas é jogando culpa pra terceiros que, há 10 anos, o clube vai se virando e se justificando. Quando a torcida aceita isso, acaba de vez a perspectiva de melhorar.

O Palmeiras que eu conheço não se contenta com um elenco mediocre como o atual, não vive de reclamações e menos ainda de bolas paradas o tempo todo. O que você, palmeirense, conhece, imagino que seja 10 vezes maior do que eu penso, afinal, há paixão.

Aceitar essa ondinha de procurar culpados pra cada escanteio não marcado ou pra cada ponto não conquistado não me parece comum a um clube como o Palmeiras.

Mas tem se tornado.

E quando o mediocre ganha espaço sobre o diferenciado, algo está bem errado.

Mas, como queiram… é culpa do juiz, da FPF, da CBF e da imprensa.

E assim seguimos há 10 anos dando a mesma desculpa e com os mesmos resultados.

abs,
RicaPerrone