Home » Futebol » Tricolor sem vergonha

Tricolor sem vergonha

Não leve o título do post 100% a sério.  O clube São Paulo e sua história são intocáveis, mas nesta sexta-feira uma enorme mancha ficou registrada nessa linda história.

Juvenal Juvêncio, o presidente que tem seu mandato ainda na justiça sendo discutido, é candidato a reeleição e, de novo, rasga o estatuto e dá o golpe na cara de todo conselho.

Os sócios e conselheiros dizem amém ao não se opor. O que torna o SPFC, até semana passada um clube que falava em “moralizar” as coisas, um clube comum em sua postura.

Como pode um homem que bate na mulher querer sair na rua defendendo o direito das mulheres?

De que adianta se fazer a favor do desarmamento e fazer curso de tiros?

Juvenal, meu caro Juvenal. Você bateu na sua esposa, quebrou a casa toda e saiu na calçada pedindo o fim da violência.

Sua candidatura é podre. É um golpe dos mais nojentos que vi acontecer neste clube, e pior,  com o aval da maioria covarde.

Covarde pois dos que conversei, e não foram poucos, o que mais ouvi foi: “Sou contra! Mas vou falar o que? Se eu abrir a boca eles me queimam”.

Covardes! Anti-sãopaulinos. Maus sãopaulinos!

Por politica, pisam na camisa do clube. Por firula com a torcida, vão na tv falar em ética, moralizar o futebol, etc.

Ninguém sem moral dentro de casa pode querer moralizar algo fora.

Juvenal, você é o retrato atual do que o São Paulo nunca foi e sempre teve orgulho de não ter sido.

Você e sua candidatura tornam o SPFC, estruturado e vencedor, hoje, num clube comum.

Parabéns!

Será reeleito, certeza. Pois além da sua cara de pau em tentar, existem covardes suficientes pra dizer amem.

Lamento pelos 15 milhões de torcedores que acreditaram no discurso do “clube diferente que busca moralizar as coisas”.

Lamento muito. Mereciam mais respeito.

abs,
RicaPerrone