Home » + Chamada » #SomosFutebol – #SomosArrogantes

#SomosFutebol – #SomosArrogantes

Quando o Brasil te engana com dirigentes ladrões você odeia os dirigentes e os esquemas deles, não o Brasil.  Você briga pelo bem do Brasil, e não porque passou a não gostar mais do país.

A lógica não se aplica a CBF, que é vítima de maus tratos há décadas e que deveríamos tentar salva-la e não enterra-la.  Com toda antipatia tosca criada pela mídia e a campanha anti-treinador mais escrota e cara-de-pau que já vi na vida, as vezes a entidade acerta de forma irrefutável.  E então a omissão é a melhor forma de não reconhecer.

O evento que está acontecendo essa semana na entidade não apenas contribui para o futebol como abre a possibilidade de você, torcedor, entender o que não pode perguntar.  Está ao vivo no site da CBF. Todas as pessoas que passam o ano avaliando futebol podem ouvir, pela primeira vez, a versão de Dunga, Gilmar, a visão do técnico da Itália, do Flu, do dirigente do Tottenham,  assim como tantos outros que ainda virão.

Ao final das palestras, debates. E você? Viu onde isso ser colocado a sua disposição?

Pois então. Será até sexta-feira. Basta ir no site da CBF e acompanhar ao vivo toda essa rara oportunidade de ouvir um profissional do futebol dissertar sobre o tema o mesmo tempo que você gasta conosco, jornalistas, que na real não sabemos grandes coisas.

Dunga falou, Conte falou. Dunga mostrou altíssimo conhecimento dos problemas do futebol brasileiro, e embora seja um treinador não muito conceituado, dá pra ser um profissional bem aproveitado.  Oswaldo Oliveira falou. Deu aula.

Levir, tanta gente.

Entre diversos assuntos e debates nos deparamos com surpresas, despreparo, outros momentos de boas revelações. Mas basicamente notamos o abismo que há entre o que é feito, o que é pensado e o que é passado pro torcedor como verdade absoluta.

Eles enxergam um futebol que nós, mortais, nunca saberemos enxergar. E pior: no alto de nossa arrogância, nem queremos ouvi-los.

Por um momento, entre uma chacota ou outra de um jornalista no local, me perguntei: Será que pode passar pela minha cabeça que eu entenda de futebol ou possa taxar um sujeito como Dunga de “boçal”, como fazem alguns boçais?  Na seleção desde os 15 anos.

Treinador. 3 Copas.  Ídolo. Capitão.  Alvo.  Vilão.

E quem entende de futebol ao ponto de poder opinar com algum desdém sou eu?

É meio constrangedor as vezes chegar perto daquilo que tanto pisoteamos. Porque a CBF é uma empresa que lucra, que tem na sua estrutura um padrão de primeiro mundo, que tem um museu de emocionar qualquer um e que obviamente a mídia nunca fala nele porque é bom.

Tem um passado sombrio, um monte de gente incompetente e também um monte de gente boa tentando trabalhar pra melhorar.

E aí você chega no meio de 20 treinadores com anos de estrada, diversos campeões do mundo, profissionais preparados em marketing, gestão, entre outros e, ao invés de ouvir… debocha.  Ou pior: deturpa o que foi dito pra manchete ser ruim.

Assistam ao vivo amanhã. Não porque vocês devem ou não gostar e concordar com esse ou aquele. Mas pelo mero sintoma de sanidade que indica sua mínima curiosidade em saber o que esses caras pensam sobre o um tema que você jura ser professor embora sequer se aproxime dele.

abs,
RicaPerrone

Comentários