Home » + Chamada » Seleção, um caso a parte

Seleção, um caso a parte

Seleção de futebol não é consequência do futebol de um país.  Isso é muito simples e claro pra qualquer pessoa inteligente disposta a por 10 minutos não repetir feito papagaio o que ouve da tv.

Me explica.  Dos 23 convocados, 6 jogam aqui. 3 são goleiros.  Dos 3, um estava em campo.  Todos os outros são estrelas no futebol europeu, que adoramos.

Então juntamos 11 caras que atuam bem na Europa e eles jogam mal porque nosso calendário é ruim, nosso futebol amador e nossos treinadores ultrapassados?

Um minuto. Gaste um minuto do seu tempo pra me explicar o que é a seleção da Inglaterra e seu futebol local. Relacione se conseguir.

Ou melhor. Explique como em momentos muito piores onde não tinhamos Cts, estádios, organização alguma ganhamos Copas e mais Copas? A seleção, meus caros, é um time de futebol. E ele dá certo ou não por detalhes como em qualquer time.

O Brasil pode ganhar mais uma Copa com o Brasileirão em greve, não tem relação. Como pode perder de 7 com 10 titulares que atuam na Europa na Champions League. Como aliás, aconteceu.  O treinador? Era o cara que dirigiu Portugal e levou até semi de Copa e final de Euro.

Qual é a relação?

Porque diabos é tão difícil tentar desenhar o modelo e entender que clubes são representados por federações, que por sua vez são representados por CBF, que de cima pra baixo pouco pode fazer. E mudar um treinador da seleção muda o que no “futebol brasileiro”?

Quero o Dunga? Não. Prefiro Cuca ou Tite.  Mas que diabos tem a ver com o “futebol brasileiro”? Porque ainda existe gente que parece razoável achando que quando a seleção perde um jogo de futebol é reflexo de organização, estrutura e amadorismo interno?

Quer dizer que em 2002 eramos todos profissionais? Porra, era pior que hoje. Nunca fomos tão sérios, tão estruturados quanto hoje. Como isso pode ter relação com nosso pior momento?

É um time. Só um time. Que se der liga e achar os 11, pode gahar tudo e isso não significará que estamos com os nossos problemas resolvidos aqui. Tal qual a “base do futebol brasileiro”, massacrada há 1 ano, vice campeã mundial em 2015 e sem NINGUÉM atrelando a “melhora da base brasileira”.

Porque?

Porque na falta de argumentos, de vontade de entender as coisas como são e a necessidade de agredir alguém na sua crítica, repetimos o discurso mais fácil de se sustentar num debate de 10 minutos.

A seleção é um time de futebol. Vencendo ou perdendo, hoje, com 85% dos seus convocados titulares na Europa, representam muito mais o futebol deles do que o nosso.  Mas aí é uma discussão que requer cuidado, estudo, tempo, trabalho. Logo, não teremos.

abs,
RicaPerrone

Comentários