Home » Futebol » São Marcos!!!

São Marcos!!!

O apelido nunca foi a toa. Marcos, embaixo das traves o melhor goleiro do Brasil desde Taffarel, salvou o Verdão e o classificou para as quartas de final de uma Libertadores onde, de novo, o Palmeiras esteve perto da eliminação. 

O jogo foi emocionante, e só. 

Não concordo com quem acha que foi um jogaço de bola. O Sport não conseguiu pressionar o Verdão como deveria, e o Palmeiras, por sua vez, nào conseguiu encaixar nada no contra-ataque.

Os treinadores acertaram no começo, erraram no meio. 

O Nelsinho armou um jeito diferente e o Sport até chegou no começo. O Luxa armou um sistema defensivo muito bom e não permitiu que o Sport fosse transformando o desespero em pressão.

Ao contrário. 

Mas, errou ao tirar o Diego Souza, acho eu. 

O Keirrison não. Esse aí tava de brincadeira, tinha que sair mesmo. 

Mas o Diego, sei la. Eu não tiraria alguém que pensa e prende a bola.

O Nelsinho idem. Queimou tudo cedo, deu de bandeja pro Luxa como o time ia atuar até o fim. 

O gol foi um erro grotesco do Marcão, que isolou uma bola no pé dele sozinho, e outro da zaga, que viu um jogador do Sport passar reto por 3 jogadores do Verdão como se nada fosse. 

1×0, resultado que só considero justo pelo que o Marcos fez na partida. Nas 3 vezes que o Sport chegou mesmo, ele salvou. 

Penaltis.

E aí… não tem nada a acrescentar. Marcos é o melhor goleiro do Brasil embaixo das traves. No total, ainda acho que o Ceni supera, pelo conjunto da obra. Mas como goleiro apenas, o Marcão é impressionante em momentos decisivos. 

Pegou os penaltis e meteu o Verdão, que vive quase eliminado, nas quartas-de-final. 

O que fica pra mim deste jogo é o tamanho da incoerencia da imprensa de forma geral.  Disseram a semana toda que Sport e Palmeiras se equivalem. Ok, digamos que seja verdade.

Então porque diabos se COBRA do Palmeiras uma vaga e se faz festinha pro Sport pela mesma vaga?

Santa incoerencia…

Os dois times não devem ir longe pelo que tem no papel. Mas o Palmeiras é mais time que o Sport. Na camisa, no papel, no banco e na comissão técnica. 

Comparar os dois, ou chamar de clássico como ousaram fazer, é procurar diversão na casa da sogra…

abs,
RicaPerrone