Home » Futebol » Clubes » Corinthians » Saber perder

Saber perder

É difícil, eu mesmo não sei bem. Mas o dirigente de clube profissional, aquele que controla como um negócio e não como torcedor bobalhão apaixonado que não enxerga um palmo na frente do nariz, deve saber.

Perder “pra si mesmo”  é arrogancia. Perder é também consequencia do mérito alheio, algo que raramente dirigentes do Brasil conseguem enxergar.

Burros, contra seu amanhã, insinuam pra seus fiéis torcedores que seu time só pode ser superado pelos próprios erros e, assim, gera uma cobrança 20 vezes maior. Afinal, conforme disse seu dirigente, se perdeu, foi pra ele mesmo.

Pior, bem pior, é quando uma pessoa ligada ao futebol usa seu poder de mídia pra insinuar coisas que não pode provar, que muito provavelmente são bobagens e que ele só cita quando perde.

Sem Neymar e Ganso na seleção, era ataque histerico pelo absurdo. Com eles, é ataque porque “não precisava”.

Não precisa treinar o time faltando 2 meses pras Olimpíadas, Alaor?

Você acha mesmo que o Emerson, até outro dia reserva, devia estar na seleção. Ou passou a achar ontem quando num lance pelo chão, coisa que seu time talentosíssimo não fez, resolveu o jogo?

Alaor, o Emerson é naturalizado cidadão do Qatar. Ele não pode ser convocado, já jogou na seleção de lá.

Ralf e Paulinho, Alaor, tem mais do que 23 em Julho. Não podem atuar nas olimpíadas. Não sei se você notou, me parece que não, mas era um time olímpico o que viajou.

Marin é ligado ao SPFC, que até ontem se fazia de perseguido e agora não fará mais. Será alvo.

Andres ligado ao Corinthians, e obviamente, na incapacidade de reconhecer que ontem o rival foi superior e ponto, é preciso achar um complo politico para justificar uma derrota.

Bobagem. Muita bobagem.

Insinuações vazias, oportunistas, daquelas de torcedor.  O típico torcedor que só conta os penaltis não marcados a favor dele e, quando contra, diz: “Lance dificil”.

Cabe ao torcedor, não deveria caber ao dirigente. Este fala em nome do clube e, ao dizer o que disse hoje, por exemplo, a interpretação simples é que: “O Santos acha que foi prejudicado pela CBF que, por camaradagem, deixou 3 jogadores de fora da seleção pra ajudar o Corinthians”.

Isso aí tem nome, Chama-se “desviar o foco”,  “não ser grande o suficiente pra reconhecer o mérito alheio”, ou, no portugues claro,  “fugir do pau”.

Ou quando campeão alguém vem na tv falar da sorte da bola que não entrou, do erro do juiz a favor ou de algum time misto que o enfrentou dando 3 pontos “não previstos” na tabela?

abs,
RicaPerrone