Home » Futebol » Atlético MG » Retomando o devido lugar

Retomando o devido lugar

Não será um mero estadual que colocará o Galo novamente em seu devido lugar. Também não dá pra cravar que o processo está indo nesta direção, mas também não dá pra fechar os olhos para os fatos.

Depois de cair, voltar, balançar e se segurar na série A, o Galo fez um campeonato de bom nível em 2009. Começa 2010 com um belíssimo CT, com um treinador top, uma base razoável do ano anterior e a chegada de bons reforços.  Começa com titulo, o que é sempre importante.

Começa vencendo o Santos, mesmo tendo ainda o jogo da volta e a natural possibilidade de ser eliminado. O que, diga-se, não é vergonha alguma, já que enfrentará o melhor time do país.

Digo e repito, há séculos, que respeito todas as torcidas do país, pois todas elas enxergam seu time da mesma forma. O amor é igual, muda a postura. E as torcidas de Galo, Flamengo e Corinthians merecem sim, uma dose extra de respeito.

Não porque são melhores, mas porque são diferentes. Sempre foram, e teimar com isso é brigar com a história.

Hoje, no Mineirão, duas cenas me chamaram atenção.

A primeira foi a atitude do Tardelli com a flanelinha, que é a brincadeira mais bacana e bem colocada que um rival pode fazer com outro. O Cruzeiro brincou, de forma muito bem bolada, e o Galo respondeu, também com muito bom humor. Futebol devia ser isso, só isso.

E a segunda foi o Marques. A imagem da torcida pedindo, do cara entrando, fazendo o gol e chorando pela despedida é incomum.

Marques, pra mim, foi um jogador nota 7. Nada além disso. Mas, no Galo, se identificou com a torcida, virou ídolo, representou muito bem a camisa e criou esta relação forte com o clube. Hoje, na sua despedida, o gol do titulo.

Não é a coisa mais fácil do mundo ser ídolo da torcida do Galo. Ainda mais não sendo um craque de nível técnico extraordinário, como Marques. O sujeito ralou e correu muito pra ter isso, tenho certeza.

E assim sendo, justíssima homenagem ao agora ex-jogador.

Bonito ver o Mineirão daquele jeito, muito legal ver o Galo mais forte e muito animador ver uma torcida dessas vislumbrando algo grandioso pro restante do ano. Há muito eles merecem, jamais abandonaram, jamais viraram as costas, e é na dor que as uniões se fortalecem.

O Galo pode viver uma fase ruim há alguns anos, mas, como bem dizia Nelson Rodrigues: “O que são 100 anos para o Botafogo?”. Idem pro Galo.

Parabéns à nação atleticana, ao time, ao Luxemburgo, que há anos assume desafios e não times prontos para vencer tudo. O que pra muitos é mera decadência, pra mim é coragem.

Que venha um grande Brasileirão.

abs,
RicaPerrone