Home » Futebol » Clubes » Flamengo » Quando o choro é discutível

Quando o choro é discutível

Discutivel a relação de “trairagem” entre Ronaldo e Flamengo. Claro, pro torcedor do Fla ela é pouco discutível, afinal, o que não é a favor do clube, é quase sempre errado a todo torcedor.

Mas vamos separar algumas coisas.

Ronaldo sempre foi Flamengo, e o fato dele ser torcedor do clube não lhe obriga EM NENHUM MOMENTO a ter que fazer algo pelo clube.

Um dia foi se recuperar lá. Enquanto esteve, vestiu a camisa do Flamengo. Ao fazer isso, deu muito mais ao clube do que o clube a ele, convenhamos.

A estrutura do Flamengo não é digna do clube. Todo rubro-negro sabe disso, e portanto Ronaldo não fez uso de um puta investimento, mas sim de uma sala comum de ginastica e de um médico de sua confiança.

Deve um “muito obrigado”? Claro!

Agora, a Petrobras e a Nike nao devem ter achado ruim o cara sair vestindo a camisa deles por aí durante meses. Assim como o clube, que ficou estampado no peito dele por meses e meses.

Então, sinceramente, esta relação pra mim não existe. Foi uma troca, e os dois cumpriram.

A questão dele ter jogado no Flamengo é bastante contestável.

Ele disse que jogaria lá? Não! Quem disse foi a imprensa.

Ele disse que GOSTARIA, e aposto um braço meu que ele parou com esse gostinho amargo. Azar de ambos.

Agora, entre ele estar lá, dizer que queria, o clube idem e isso se tornar um acordo comercial… vai uma distância gigantesca!

Pro torcedor, especialmente pra aquele com 19 anos que nunca fez um NEGÓCIO na vida, fica a imagem simples: “Nao jogou no meu time, é traidor”.

Mas Ronaldo, por exemplo, treinou no Reffis do SPFC.  Traidor?

Ele disse que queria, e queria. Nao duvidem disso.

Mas além de não ter recebido nenhuma proposta do Flamengo, o que é absurdo por parte da diretoria tendo o cara lá dentro por meses e meses, tem também a história da Nike, que não é oficial, mas é bem aceitável.

Ela bancou o cara enquanto ele nao jogou. Mais de um ano pagando. E ela estava saindo do Fla, como todos sabiam. Ela teria feito um acordo com ele: Se o Flamengo for pra Libertadores (O que tudo indicava acontecer) ela deixaria ele jogar lá. Se não fosse, ele iria pra onde ela estaria. No caso, o Corinthians.

E quando o Flamengo perde a vaga na Libertadores, no dia seguinte, o presidente do Corinthians vai ao Rio e faz a oferta pro jogador.

Se foi isso, não vejo NENHUMA trairagem. Ele respeitou quem pagava o salário dele, que era a Nike.

Ele não pode jogar onde quiser. Ele joga onde tiver acordo. Proposta, salario, luvas, patrocinadores, ligação, família, etc.

E no Flamengo, para desgosto DELE, não teve.

Ele pode não ser um ídolo rubro-negro, é natural. Mas daí a ser um traidor do Flamengo é muita falta de noção da realidade.

O futebol não é o que o torcedor pensa ser.

Há muito mais entre a arquibancada e o campo do que imagina o torcedor.

Ronaldo ficou tão cheateado quanto o Flamengo em não ter jogado lá.

E ele nunca prometeu que jogaria.

Disse que “GOSTARIA” e que estava caminhando, o resto a imprensa e a torcida que fizeram.

abs,
RicaPerrone