Home » Futebol » Clubes » Flamengo » Quando a paixão atrapalha

Quando a paixão atrapalha

Ninguém ensina torcedor a torcer. Alguns torcem mais, outros menos. Alguns fazem do clube sua vida, outros fazem dele até um “negócio”. Entre bons e maus torcedores, existe um grupo que merece todo respeito, que não vive disso, mas que é doente por isso.

Paixão nunca é crime. E os fanáticos rubro-negros, cartão postal de um país, exageram sempre para os dois lados. Desta vez, pro lado errado.

O Flamengo está buscando um time, uma formação e testando tudo que pode para encontrar suas falhas e, então, corrigi-las. Seja com reforços, seja em casa mesmo.

Usa o estadual, com toda razão.

Ainda assim, em testes, ganha e já está na final. Não dá show, alterna entre boas e más apresentações, o que é normal pra todos os times do país neste momento.

Ninguém, nem o Santos, nem o atual campeão Flu, está jogando regularmente e com o time formado. Não será o Flamengo, com peças novas e posições carentes que estará voando em março.

Enfim. Querem Adriano? Ok.  O Flamengo, e isso não diz respeito apenas ao Luxemburgo, mas sim ao clube, não quer.

Luxemburgo dá palpite. Patricia e os seus ouvem se quiserem. Nenhum técnico do mundo compra ou vende jogador. Ele, no máximo, indica. Quem faz isso é diretoria, e quem nega está apenas tirando da reta.

Você quer o Adriano? Eles não.

É direito seu querer, deles em não querer.

A diferença é que São Paulo e Flamengo, clubes que tiveram o jogador recentemente e com bom desempenho, não o quiseram. Isso indica que com conhecimento de causa muito acima do seu e do meu, eles estão pensando parecido.

Podem estar certos, errados, mas tem mais base de avaliação do que nós.

Repito: Eu também contrataria o Adriano. Mas não acho um crime não contratar.

“Fora Luxa”?  Em março, invicto?

O que vocês tomaram? Cachaça logo cedo ou pancada na cabeça?

Estão no direito de protestar, mas também deveriam manter o direito de raciocinar.

Se no Flamengo gol de pênalti é gol de placa, qualquer protesto vira crise.

O aumento é pro lado bom e pro ruim. E o que estão fazendo nada mais é do que um enorme tiro no pé.

Queriam? Ok. Ouviram. Não trouxeram, ele é do Corinthians, tem 29 anos, jajá ele volta.

Vai continuar o “protestinho”? Faça-me o favor.

Vai transformar a vida de um técnico consagrado em um inferno porque ele achou que o Flamengo de 2010 não cabe no de 2011, como você também achou quando perdeu a Libertadores?

Aquele jogador que você vaiou no Maracanã e culpou pelo eterno “oba-oba” que vivia o clube pode ser seu ídolo. Mas não pode estar acima do clube.

Quer? Pede. Não deu? Ok, apoia quem ficou.

O Adriano não é o salvador da pátria do Flamengo, que tem jogadores de altíssimo nível em seu elenco, capazes de resolver isso sozinho.

A cega e alucinada paixão do rubro-negro, que tantas vezes vira jogos impossíveis num Maracanã lotado, também é capaz de colocar crise e pressão num ambiente perfeito e harmonioso.

Um dia é a imprensa, no outro é o técnico, no outro a direção.

Agora que os 3 estão de acordo, vai você começar uma crise na gávea, torcedor?

Não acho inteligente.

abs,
RicaPerrone