Home » Futebol » Clubes » São Paulo » Previsível

Previsível

Era uma história contada de véspera, mas que não quis acreditar, como a maioria de nós.

Não, o São Paulo não vai conseguir não ganhar do penúltimo colocado do campeonato argentino, que está falido, diga-se.  Sem pressão, estádio meio vazio, time sem camisa nenhuma, o Tricolor completinho… é óbvio.

Tão óbvio quanto o que encontraria do outro lado. Como todo time argentino o Tigre catimba, bate, empurra, irrita, fala, cospe, grita e só as vezes joga futebol. E o São Paulo, como quase todo time brasileiro, cai nessa pilha idiota.

Felizmente aqui nossos jogadores crescem se jogando na área, que é um erro. Mas é um erro menos nojento do que crescer aprendendo a cuspir, deixar o braço, catimbar e atrasar o jogo.

Sabem disso, tanto sabem que nunca tentam jogar futebol contra brasileiros. E nós, que também sabemos disso, muitas vezes ainda caimos na deles.

Óbvio, como diz a história de 31 anos de carreira, que Luis Fabiano tem “síndrome do pânico” em jogos decisivos. Some, erra tudo e quando não suporta ser o protagonista, é expulso.

Mas o interessante é que ele nunca foi expulso por necessidade ou acaso. Sempre procurou ser expulso, o que indica razoável medo de estar ali na condição de “o cara”. E ali, com a 9 do São Paulo, meu caro, ou você aguenta ou joga a vida toda na porcaria do Sevilha.

Molecagem de marca maior. Não apenas deu ao adversário chance de igualar um jogo desigual como deixou o time na mão, como faz há uma década e ainda assim é o ídolo da molecada.

Você pode sair de campo de 3 formas. Porque precisou fazer a falta, porque fez, acertou e pagou, ou porque tentou fazer, errou e ainda se deu mal.

Luis Fabiano conseguiu sair sem acertar o chute no argentino, o que é ainda mais estúpido, pois nem o erro foi cometido com perfeição.

Dali pra frente um jogo idiota. Um time mediocre que só quer achar uma bola e segurar o jogo contra um time que entrou pela milésima vez no jogo argentino.

Sorte é que a continuar tudo previsível como foi esta noite a volta não dura muito. O São Paulo tem time para trucidar o Tigre de forma humilhante, ainda mais agora que terá na figura do seu centroavante alguém que provavelmente terminará o jogo em campo.

Nunca impliquei com Luis Fabiano. Vocês que se apaixonaram pela pessoa errada.

O zero a zero carrega emoção pra final e dá ao Lucas toda chance do mundo de ser “o cara”  na sua despedida.  E ao contrário “do cara” de hoje, neste eu acredito.

O Tigre não tem outra chance que não catimbar. O São Paulo tem todas as chances se apenas jogar bola.

Vejamos quem é mais inteligente.

abs,
RicaPerrone