Home » Futebol » Pressionado e firme

Pressionado e firme

Dunga não deixou de chamar Ganso e Neymar ainda, logo, toda essa cornetagem não passa de uma tremenda babaquice de alguns jornalistas que querem reclamar da previsão e não do fato. O povo, obviamente, vai na onda.

Colocam o treinador como se fosse o “culpado” deles não irem, se é que não vão. Ninguém sabe, mas antes de qualquer coisa, reclamam.

Dunga está seguindo uma estratégia simples e de acordo com aquilo que você, torcedor, ou nós, jornalistas, pedimos em 2006. O futebol vive sob demanda, e é isso que está acontecendo.

Em 82, 86 e 90, o Brasil perdeu com um time forte no papel. Pediram, então, o resultado e não mais o “show”. Em 94, nos deram o resultado. Em 95, pedimos a volta do show.

Em 98, jogamos um meio termo, e pediram a vitória de novo, pois o brasileiro é incapaz de aceitar que perder faz parte do jogo, como fez naquela final em 98, onde encaramos um baita time e perdemos, na casa deles.

Em 2002, Felipão e o time que corre muito e ganha. Nada de show! E a paz voltou.

Em 2006, a expectativa de um show. Não veio.

Em 2007, pede-se a guerra, a raça, a determinação e o COMPROMETIMENTO. Foi isso que o povo pediu, baseado nas analises pouco coerentes da imprensa, diga-se.

Aí, Dunga foi chamado pra isso. E aí, Dunga nos deu isso.

O time dele joga, corre muito, é comprometido e disputa (ganhando a maioria) torneios conforme gostaríamos.

Craques? Não temos muitos atualmente. E os que temos são recentes. Por critério, atendendo ao SEU pedido, Dunga não deve mexer no grupo e acabar com a linha de comprometimento tão exigida até então.

Ele formou um elenco, este elenco respondeu muito bem. Se chegar lá agora e tirar um deles por decisão técnica, vai correr o risco de rachar, pois diversas vezes pregou que o comprometimento e a coerencia seriam primordiais em seu trabalho.

Futebol é simples pra quem torce, nada simples pra quem comanda.

O fato de não irmos a Copa com Ronaldo, Ronaldinho, Diego, talvez Neymar e Ganso é um mero reflexo da exigencia que todos nós fizemos ao Dunga em 2007. Ele está nos dando EXATAMENTE o que pedimos.

Portanto, não chorem.

Eu levaria o Neymar, e acho que ele pode até levar. Mas se não fizer, não o condenem. Jamais pedimos a ele que o time desse show ou que lá estivessem os mais talentosos, tanto que ao final da última Copa cobramos exatamente a saida dos técnicos, não dos que corriam.

Queríamos comprometimento e raça.

Ele nos deu.

Agora, com Neymar ou sem Neymar, é hora de “formar” com o Dunga e com o time. O lado de lá fez a parte deles em 4 anos. Agora, devemos fazer a nossa.

abs,
RicaPerrone