Home » Futebol » Preconceito ou respeito?

Preconceito ou respeito?

getOntem no Maracanã aconteceu algo interessante.  Quando saiu a escalação do time inglês muita gente aplaudiu o Lampard e o Rooney.  Lucio Flávio e Leandro Guerreiro com grife, respectivamente. (piadinha)

Mas enfim.

Eu sei, como você e qualquer outro, que aquelas pessoas não são os torcedores comuns. Aquela gente tem dentes. Todos!

Eles pagam os 10 reais na pipoca. Reclamam, mas pagam.

É em sua maioria um público que paga pra ver um show, não pra ir a um jogo de futebol. Só que é um jogo de futebol, não um show.

Como todos vocês sou preconceituoso. Talvez com a diferença de assumir isso sem me considerar mau sujeito.

Não me sinto bem ao olhar pro lado numa arquibancada e ver gente que esta mais preocupada com a foto do facebook do que com o jogo. Não é meu ambiente, não são as pessoas que eu tenho a minha volta no dia-a-dia.

Nada contra, juro! Mas não é meu estilo. E não me adapto a ele.

Quando a Inglaterra fez o segundo gol, um torcedor atrás de mim levantou e aplaudiu. Só que ele era brasileiro, com camisa do Brasil e tudo mais.  Eu me segurei, achei absurdo, pois no ambiente de JOGO DE FUTEBOL aquela atitude era intolerável.

Por mais que fosse grandiosa.

Grandiosidade, respeito ao adversário e fair play são coisas que ficam na porta do estádio. Elas não entram com a torcida. Entram com os times, as vezes. Mas nunca com um torcedor de futebol.

Ali, como eu disse, não eram torcedores comuns. Eram clientes pedindo espetáculo, e só.

Evolui o ser humano que aplaude o fracasso do seus em meio a eles ou e apenas uma tentativa idiota de aparecer?

Fiquei em duvida. Ainda tenho essa dúvida.

Mas paguei, fui de arquibancada e não de jornalista credenciado. Tinha direito a reagir.

E quando Paulinho fez o gol, olhei pra trás e xinguei a maquete de europeu que agora aplaudia nosso gol.

Eu não sei até agora se agi bem. Mas agi conforme me deu vontade. E num estádio de futebol não se pondera, apenas se torce e vive intensamente aquilo tudo.

Sei que jamais um gol do Flamengo seria aplaudido pela torcida do Fluminense. Não porque eles não notam ser um golaço, mas porque ali dentro não é um teatro, mas sim um estádio onde há algo maior em disputa.

Eu jamais aplaudiria um gol adversário numa arquibancada. Mas os que podem pagar 300 paus pra ir num estádio moderno, não são como eu.

Eles compraram a idéia imbecil de ir a uma casa de shows ver um show. E obviamente vão vaiar, pois no futebol moderno, feito pra eles, o show é cada vez mais raro.

Até que ponto o torcedor comum tem que aceitar a invasão do “novo torcedor” no seu estádio? Ou será uma expulsão do pobre e não um convite natural ao “novo torcedor”?

Não é a mesma coisa.

Porque “estou pagando” tenho direito a fazer o que bem entender. Ok.

Mas isso é a teoria. E a prática?

Ontem teve um sujeito com a camisa da argentina na torcida do Brasil. Se fosse num jogo comum a 30 reais ele teria apanhando pra cacete.  Por 200 paus o mais barato, levou vaia e um coro de “viadinho” até tirar.

É preconceito?

Com quem? Com quem não pode mais pagar o elitizado futebol e ainda se sente dono do que não é mais seu? Ou com o novato que acha que 300 reais lhe permitem comprar uma casa e não perguntar pra vizinhança o que eles acham de seus novos habitos?

Não é um post cagando regra. Muito ao contrário, é uma reflexão sem conclusão.

Ainda não sei se defendi o meu ou se não soube aceitar a chegada de um tipo de torcedor que não estou acostumado e nem disposto a me acostumar a ver.

abs,
RicaPerrone