Home » Futebol » Clubes » Corinthians » Porque só dá Corinthians?

Porque só dá Corinthians?

As vezes as pessoas citam tanto um jogador, um treinador ou um setor do time que esquecem do fator tático. Mano Menezes mostrou no Gremio que sabe comandar um grupo, manter o equilibrio nele e buscar o máximo de seus jogadores. Dará certo em SP? Ninguem sabia… aqui, exigem um pouco mais de qualidade no jogo do que no Sul, onde a cultura permite o jogo duro quase como suficiente.

Mano chegou, pegou um time em crise, e montou um time vencedor. Méritos só dele? Não.

Mas, entre os méritos da diretoria, do simples Andres, que em meio a rotineira turbulencia alvi-negra segue fazendo bons negocios, existe um fator tático fundamental.

Mano montou um time equilibrado, mas sem brilho. Era o que tinha. Em 2009, conseguiu pedir peças para completar o que havia começado. E ainda levou de presente um dos melhores jogadores de todos os tempos, que gordo ou magro, destoa do nivel mediocre do futebol brasileiro hoje.

Mano poderia, como outros limitados treinadores fariam, ter feito o time jogar em função do Ronaldo e só. Mas não. Fez o Ronaldo ser um fator fundamental, mas não único. Sem ele, o time ainda é competitivo. E com ele, quando precisa, o próprio desequilibra num simples posicionamento em campo.

Porque dá certo?

Porque o Corinthians tem um bom goleiro. Começa por ai.

Chega numa zaga que, se não é brilhante, é entrosada e firme. Não faz gracinha. E tem uma orientação clara de não enfiar bico pra frente. Ela pega e bola e toca para um dos volantes, que imediatamente colam num dos laterais, ou vice-versa.

Laterais que saem correndo atrás dos meias adversários para receber a bola pelo chão toda vez que o Felipe pega a bola ou a zaga retoma. A bola raramente vai com um bicão pra frente.

Os volantes do Corinthians sabem jogar. Eles dão apoio aos laterais e o Douglas flutua para desequilibrar o fator numerico do ataque. Com ele, um lateral e um volante, o rival precisaria de um atacante, um meia e um volante marcando. E como a bola foi RETOMADA, não dá pra ser assim.

Fica mano-a-mano. E nisso o Corinthians usa muito bem seus 2 atacantes abertos: Dentinho e J. Henrique. Rapidos, eles prendem os laterais adversarios o tempo todo,   induzindo o rival a jogar pelo alto, na base do lancamento, onde a zaga leva vantagem.

Quando o rival sai pro jogo, fica aberto e franco. E com o jogo aberto é mais fácil quem tem Ronaldo vencer do que quem tem qualquer outro.

Existem 2 formas de você marcar o seu rival. Uma delas, e a mais comum, é encher seu time de beque e volante. Assim, você anula o jogo deles. A outra, que só gente com coragem faz, é meter seu time na frente em POSICIONAMENTO. Assim, o rival vem sempre com menos alternativas.

E veja bem: Uma coisa é você atacar loucamente com um monte de gente. Outra coisa é você se posicionar na frente de forma inteligente. E é isso que faz o Corinthians.

O tempo todo o Douglas prende um volante. Dentinho e J.Henrique fazem com que os lados do campo fiquem preenchidos. E assim, ou os laterais não saem, ou o Ronaldo fica mano-a-mano.

São 4 jogadores criando problemas pro rival sem a bola. O que impede que, no minimo, 5 jogadores venham a sua area num lance comum de ataque.

Com a bola, nada de bicão. Bolas enfiadas, porque quando se cria dessa forma você ainda tem a chance da falta perto da area, e frontal. Muito mais produtiva do que a falta lateral.

Um bom batedor, Chicão, também faz diferença.

Assim se fez um time equilibrado. Que defende atacando e ataca defendendo. Todos os jogadores tem preocupação ofensiva e defensiva. Isso confunde os adversários e dá ao Corinthians a chance de, mesmo num dia ruim, fazer o resultado.

Time bom é assim. Quando esta bem, joga bonito e vence. Quando está mal, é competitivo. Quando o rival vem pra cima, briga de peito aberto. Quando o rival se recua, sabe agredir e achar o gol.

Perfeito?

Não, isso não existe.

Mas o Corinthians é hoje o time mais bem armado do futebol brasileiro. Mais equilibrado e que mais sabe o que fazer com a bola.

O resultado é quase irreal. O Corinthians vive um momento em que ganha jogos, joga bem, vence campeonatos, tem um puta idolo, casa cheia, torcida nas ruas, vende camisas, fatura alto e tem todo espaço da mídia.

O “Timão” do 1×0 aos 44, o Timão do 0x0, o Timão do sufoco está de férias. Hoje o Corinthians é um time que vence, convence e nem faz a fiel sofrer.

Maloqueiros, talvez. Sofredores, hoje, não mais.

E por méritos. Não por sorte ou acaso.

abs,
RicaPerrone