Home » + Chamada » Porque Márcio Araújo?

Porque Márcio Araújo?

Pode parecer indiscutível a “não titularidade” do Márcio Araújo a qualquer rubro-negro que espera dos seus um talento mínimo para estar entre os 11. Mas quando se fala de tática, é simples e quase provável que Márcio Araújo seja titular do “Flamengo ideal”.

Tá maluco, Rica? Tô, não.

O cara tem 32 anos, não joga grande coisa de fato. Tem poucos títulos, embora tenha jogado em 2 times grandes antes do Fla, é um jogador comum em fim de carreira. E só.

O ponto não é “a qualidade do Márcio Araújo”, mas sim a “função do Márcio Araújo”.

É aplicado, faz o que o treinador manda, não tem a vaidade de tentar buscar uma jogada de ataque por 90 minutos se necessário.  O Flamengo hoje joga numa linha de volantes com 2 caras que sabem jogar, mas que marcam pouco. Não são daqueles jogadores cujo a função número 1 é brigar pela bola. Arão e Rômulo seriam, 10 anos atrás, dois “segundos volantes”.

Um dos zagueiros do Flamengo, seja o Rever ou o Juan, é um cara bem lento de mais idade. Não dá pra correr o risco. Precisa proteção.

Quando joga o Marcio Araujo, você não apenas protege os zagueiros com um “falso terceiro zagueiro” – Um Jailton em 2017 – como também devolve a Arão e Rômulo seu melhor posicionamento.

Dá mais tranquilidade para os laterais, dá mais condição pro Diego estar perto da área sem tanta obrigação de recompor. Márcio Araújo, talvez, seja um “mal necessário”.

O Flamengo com ele jogou um primeiro tempo muito bom no Chile e não saiu vencendo por detalhes. Não porque ele mudou o time tecnicamente, mas porque sua posição tática devolve ao time alguns talentos se sacrificando menos pra recompor.

Eu apostei em janeiro, vocês se lembram, que o Flamengo rodaria, rodaria, e terminaria com ele no time.  Por isso. Ninguém no elenco do Flamengo faz a função Márcio Araújo.

Ou vocês acham que alguém joga anos no Palmeiras e no Flamengo de titular sob o aval de variados treinadores sendo fraco tecnicamente porque?

Márcio Araújo não joga muita bola. Mas sua presença melhora o futebol do resto do time. E isso as vezes compensa.

abs,
RicaPerrone