Home » Futebol » Penalti: Uma tese a ser discutida

Penalti: Uma tese a ser discutida

Recebi um e-mail de um leitor chamado Marcelo Almeida.  Ele fala um pouco sobre quem é e em seguida solta uma teoria pouco discutida, que confesso jamais ter pensado nela, e que agora pensando, fiquei sem opinião formada.

Vou repassar a vocês, aí vocês discutem a tese do nosso amigo.

Rica,

Sei que você deve ter muitos e-mail para ler, por isso vou tentar ser breve. Mas mesmo assim, preciso me identificar. Meu nome é Marcelo e sou um Flamenguista dos grandes. Acho que esse time é, literalmente, minha maior paixão, então, por isso peço desculpas antecipadamente se, em algum momento eu for parcial em favor do meu time.

Já devidamente apresentado, explico que trago esse assunto à você por considerar você um dos poucos jornalistas sérios quando se trata de esporte e principalmente futebol. Acho suas análises extremamentes coerentes e por isso gostaria de saber a sua opinião a respeito de um assunto que há muito tempo me incomoda. Se possível, gostaria de ver esse assunto discutido em um dos podcasts com o Arthur. Sem mais demoras, vamos ao assunto:

Na minha opinião o penalti deveria ser abolido do futebol. Decisão polêmica, sem dúvida. Mas acho que muito coerente. Há bastante tempo, vinha me questionando sobre a razão da existência do penalti. Por que uma falta (Como outra qualquer) deve ser punida (Ou recompensada, no caso do time que sofre a falta) de forma tão extrema. Cheguei a conclusão de que o penalti deve ter sido criado para punir aqueles lances agudos onde a chance de gol era clara e evidente e o jogador sofre a falta. Pois bem, quantos penaltis atualmente temos nessa situação? Muito poucos. Quantas discussões e resultados contestados temos por penaltis mal marcados ou não marcados. Muitas.

Ao meu ver, se o penalti fosse abolido, teríamos algumas vantagens:
1) Juízes não seriam tão responsáveis por resultados, não teriam tanta influência nos resultados. Seu poder diminuiria
2) Resultados não seriam contestados, reclamados por penaltis não marcados que talvez nem mudassem o resultado do jogo, mas que hoje, quando não marcados significam que o pior time do mundo iria virar um jogo em cima do Barcelona por um penalti não marcado.
3) Jogadores parariam de se jogar na área para buscar o penalti ao invés de tentar a jogada.
4) Por que uma falta, muitas vezes sem violência, na lateral da área deve ser punida com um tiro frontal. Quase um gol.

Para contextualizar, peguei dois jogos como exemplo. Semi-final da taça rio: Flamengo 2 x 1 vasco.
O Flamengo venceu com um gol de penalti, existente, cometido no Leo Moura que ia em direção à linha de fundo. Esse lance, poderia ser uma falta normal que o Flamengo cobraria de dentro da área, como um tiro livre indireto. Quando a distância da bola até o gol fosse maior que os 9m, a barreira ficaria sobre a linha do gol.
Nesse mesmo jogo, o polêmico lance do Willians que levantou o braço para colocar a mão na bola não teria essa importância toda, uma vez que seria cobrado uma falta normal, com chance de gol, mas não tão clara quanto um penalti. Evitaria toda a polêmica e reclamações dos vascaínos.

O outro jogo é a final da mesma taça rio. O jogo foi decido como? Em penaltis. Todos eles existentes, sem dúvidas. Mas me pergunto se no 2º gol do botafogo o jogador se jogaria da forma como fez se não estivesse dentro da área (Repare que ele é realmente puxado pela camisa, mas cai pra frente!!!!).

Acho que a existência do penalti põe muita responsabilidade sobre um juiz, muitas vezes despreparado, e em lances comuns, normais, podem decidir um jogo e um campeonato. O jogador deixaria de cavar um penalti ou pelo menos isso diminuiria. Quantas vezes em um jogo dificil pensamos naquela frase: “Um jogo assim, só se ‘arrumar’ um penalti.” Ou seja, o time está jogando mal, e o penalti torna-se a solução.

Outro questionamento que me faço, e me remete a pergunta inicial da razão da existência do penalti, é sobre a gravidade da falta. Um puxão de camisa no canto da área, quase na linha de fundo, bem longe do gol, torna-se mais perigoso do que um bico no joelho do adversário no meio de campo. Nessa última é marcada uma falta normal, e por mais que o jogador seja punido, o time sofre uma punição menor do que uma trombada ou um puxão de camisa dentro da área, mesmo que longe do gol.

Sei que isso é uma mudança muito brusca e grande para o futebol, não tenho a menor pretensão de que isso aconteça até o fim dos meus dias, mas como pensei muito nisso nos últimos meses, gostaria de saber a sua opinião, já que é uma opinião que respeito muito.

Embora tenha muito mais argumentos e exemplos, não gostaria de me alongar muito. Se possível, por favor, me responda, poste alguma coisa no blog, ou comente no próximo podcast.

Continue com o seu excelente trabalho e análises.

Um grande abraço,

Marcelo.

E ai? O que acham?

abs,
RicaPerrone