Home » Futebol » Seleção » Pecando por ação

Pecando por ação

Sobre o jogo, pouco a dizer. Odeio times que existem sob o argumento de não passar vergonha. Essa porcaria que enfrentou o Brasil hoje é um destes mediocres por vocação.  Ao invés de tentar algo diferente numa Olimpíada, se limitam a “perder de pouco”. Enfiam 11 atrás, acabam com o jogo e acham que sairam de lá fazendo bonito.

Cada com um conceito do que é bonito. Eu respeito mais quem toma 4×0 tentando jogar do que quem toma 2×1 parado impedindo que haja uma partida de futebol em campo.

Mas esquece os caras. Quero falar do Neymar, autor do gol da vitória.

O garoto está errando muito. Dribles que acerta com facilidade, passes que costumam sair sem nem olhar. Neymar não está conseguindo ser feliz na maioria dos lances, como é aqui. E não, a merda da Bielorrusia não é “mais forte na marcação” que zagueiros brasileiros.

Não me preocupa ver o garoto errar tanto aos 21 anos com o mundo nas costas. Nem acho que esteja se jogando demais.

O que me chama atenção é o quanto Neymar está chamando pra ele e tentando, mesmo após errar.

Pecar por ação é sempre melhor do que por omissão. Acusem  o garoto do que for, menos de fugir do jogo ou de “pipocar”.

Neymar tem tentado ser diferente em todos os lances, e talvez aí esteja o erro. Mas ao tentar, em 10, acerta 2. E nestas 2, uma entra.

Sempre preguei que não suporto jogador que se esconde atrás de beque. Sempre respeitei o Zico pelo penalti perdido na Copa pelo simples fato de ter tido peito de bater.

Não será diferente agora.

Neymar é o melhor jogador das Olimpíadas até aqui. E não só pelos gols, passes ou dribles. Mas pela tentativa desesperada em ser o que esperam que ele seja.

Isso se chama personalidade.

Quantos, aos 21, todas as cameras em cima dele, errariam um drible, tomariam uma vaia e pegariam a bola 10 segundos depois pra dar de novo? Quantos teriam a “marra” que esse moleque está tendo ao ignorar o bla bla bla e continuar buscando o tempo inteiro?

Dos seus pés não tem saído tanta magia quanto esperavamos. Mas do seu rosto tem saído muito mais suor do que podíamos imaginar.

E isso basta. Errar ou acertar é do jogo. Sumir ou se apresentar é da personalidade de um craque.

Neymar é craque.  E prova isso nas Olímpiadas.

Enquanto termino o texto ele mete uma caneta, dá de calcanhar e Oscar mata o jogo. 3×1.

Melhor clicar logo em “publicar”, antes que eu acrescente mais 10 linhas de elogios ao nosso craque.

abs,
RicaPerrone