Home » + Chamada » Operação R10 – Capítulo final

Operação R10 – Capítulo final

90%

Eurico Miranda acorda e anuncia que Ronaldinho está 90% no Vasco. A notícia é uma bomba pra mídia, uma pauta gigantesca, assunto pra 3 dias em mesas redondas. Mas não é bem verdade e não assusta Mário que conduz a negociação há algum tempo.

Ao ouvi-la, Mário manda um whatsapp para Assis que nega. Diz que tudo que foi conversado está mantido e que o Fluminense segue sendo um interessante caminho para Ronaldo.

Assis viaja pra Turquia

Enquanto o irmão/empresário de R10 viaja pra Turquia, o Fluminense segue pontuando no Brasileirão. Assis nega ter ido até lá para “negociar” Ronaldo, enquanto a mídia faz de sua viagem quase um anuncio oficial de Ronaldo na Turquia.

Ainda via whatsapp, Assis diz ao Flu que gostou da proposta e que vão conversar mais uma vez quando ele voltar ao Brasil. A coisa já não parece mais uma “sondagem”, nem mesmo um namoro.

Semana decisiva

Imagem do SMS de Mário para Assis
Imagem do SMS de Mário para Assis

São Paulo x Fluminense no Morumbi. Na concentração alguns jogadores chave ficam sabendo que seria hora de decidir com Ronaldo e entram novamente no circuito. Fred e Pierre mandam mensagens para o craque reforçando que o grupo ficaria feliz em recebê-lo. Ronaldo começa a se envolver.

Na terça, dia 7 de julho pela manhã, após a volta de São Paulo, Mário envia um whatsap a Assis com uma imagem do Cristo Redentor segurando a bandeira do Fluminense e escreve: “Roberto, Bom dia….apenas pra dizer ao Ronaldo que o Rio de Janeiro e o Fluminense já esperam ele…..” .

Reunião e vitória

Mário e Simone vão a casa de Assis na quinta-feira, dia de Fluminense x Cruzeiro, para uma conversa importante. E uma das estratégias foi levar ao craque 4 camisas para ele escolher. Eram elas:
Número 95 – Referência ao gol de Barriga e a um novo “R. Gaucho” no clube
Numero 40 – Em homenagem a maquina Tricolor de 75
Numero 10 – Óbvio
Numero 11 – Camisa que ele usou na Copa de 2002 e ano do centenário do Fluminense onde outro “R” e craque do Barcelona, Romário, vestiu a camisa do Flu.

Eles chegam na reunião e colocam para Assis que tem alguma urgência, já que o clube está subindo na tabela, Wagner foi embora, e que precisam mesmo ter decisões sobre o elenco pro restante do campeonato. Mesmo de férias ainda, eles queriam uma resposta do Ronaldo.

Assis ouve tudo, diz que liga pro advogado deles e retorna. Assis pede 6 ingressos para o jogo contra o Cruzeiro de logo mais.

“Fodeu!”, pensam os dois. Se ele aparece lá a imprensa enlouquece !!!

Ele acha as camisas lindas e comenta sobre a beleza da camisa verde que estava com o 10. Neste momento, mesmo que de maneira velada, ele escolhe a 10.

Simone e Mário chegam na rua em frente a praia, antes de entrar no carro e se olham. Simone diz: “Caralho, acho que agora foi!”. E pela primeira vez eles acreditam estar realmente próximos de ter Ronaldinho no Flu.

Mário manda outra mensagem a Assis agradecendo a recepção e a ótima conversa e Assis Responde: “ Vamos fazer história !!!”

Fluminense x Cruzeiro

Sem alguns titulares, o Flu reage bem, vence e vira vice-líder do Brasileiro. Proposta na mesa, clube em segundo, imprensa em cima. O cenário é decisivo. Em algum momento o telefone vai tocar.

E toca! Assis manda uma mensagem para Mário empolgado com o jogo. Dizendo que viu o jogo e que Ronaldo também viu, elogia o time, a vontade e diz que amanhã a noite o advogado estará na casa dele.

No estádio a imprensa já sufoca a diretoria com perguntas. Eles não negam, nem confirmam. Muito menos dão percentual de possibilidades ao torcedor. Mário e Simone só trabalham contratações e negociações em sigilo. É muito chato tirar deles. E quando se tira, o negócio já está bem adiantado.

Sexta a noite

Casa de Assis. Lá estão Mário, Peter, Simone. O presidente se envolveu muito pouco na negociação. Há uma hierarquia muito respeitosa entre os 3. O Simone cuida do futebol e leva pro Mário o que é do Mário, que por sua vez, apesar de ser o vide de futebol, leva sempre ao presidente as situações já concretas para que ele possa dar seu aval e finalizar a operação.

Mas agora é com ele também. E lá está Peter na mesa com o advogado Sérgio e Assis. Mário se surpreende, pois quando chegam lá para uma “conversa”, talvez “mais uma”, Sérgio lhes apresenta uma minuta de contrato pronta e dentro de tudo aquilo que havia sido combinado, necessitando apenas de alguns ajustes negociais. Apesar de uma longa conversa, um longo “namoro”, Mário e Peter, advogados acostumados a participar de negociações no futebol se surpreendem novamente ao perceber a maneira simples e objetiva com que tudo acontece após o sim de Ronaldo.

Era oficial. Ronaldinho queria jogar no Fluminense. E ali mesmo, com os três advogados (Mário, Peter e Sérgio), eles ajeitam clausulas e chegam a um acordo. Mário envia pro clube, pede para providenciar aquilo formalmente e que pega no dia seguinte.

Peter

Imagine ser o presidente no momento em que o time perde o patrocinador que “bancava” o futebol há anos? Peter não deve ter vivido dias muito animadores em janeiro.  Mas o time brigando, pagando em dia, com nomes de peso e aquela contratação do R10 representariam muito mais do que um meia direita pra ele.

Nessa noite de sexta-feira, quando percebe que Ronaldinho está a uma canetada de ser jogador do Flu, ele se emociona. Revela aos amigos Mário e Simone que é uma conquista. E não está falando em título, mas em como se manter um clube em alta, forte no campo e no mercado, meses após ser rotulado como “morto” para uma parte estúpida da mídia esportiva.

 

Simone e o avião

É sábado. Mário e Peter tem a reunião final com Ronaldo as 16h. Mas o Flu precisa ir a Coritiba jogar contra o Atlético PR. O voo sai as 15h, chega as 17h. Simone portanto embarca desejando “boa sorte” e espera pisar em Curitiba com uma mensagem do Mário, que não chega.

Ansioso, ele envia: “E ai?!?!”. Mário responde: “Tudo bem”. Simone usa alguns palavrões para o amigo. Mas antes que precisasse ligar para tirar mais qualquer dúvida, Ronaldo vai ao seu twitter e anuncia pro mundo: É jogador do Fluminense.

O final feliz

Papeis assinados. Todos felizes. Mário é um sujeito que fala pra cacete, daqueles bem advogado mesmo sabe? Se você sentar do lado dele em 30 minutos ele te convence que o Pelé era ruim e o Magno Alves o novo Garrincha.

Naquele dia, após a assinatura do contrato, ele foi interrompido. Enquanto falava sobre alguma coisa do clube, do desenrolar da operação, etc, Ronaldinho o interrompe.
– Mário. Você já fez tudo que tinha que fazer. Agora é comigo. Vamos pra cima de geral !!!

Não havia frase no mundo que fizesse o vice de futebol do Flu mais feliz naquele momento.

Após a frase, sabendo que o grupo está concentrado para o Jogo contra o Atlético PR,

 

Mario pede a Ronaldo que grave um vídeo de incentivo ao grupo. Ronaldo imediatamente aceita e mando o mesmo recado que havia dado ao Vice Presidente.

Eles saem da reunião, staff, marketing, comunicação, diretoria… e não fazem uma festa, nem tomam um porre. Apenas se olham orgulhosos por terem dado mais um grande passo a provar, pra quem ainda é cego e duvida, que o Fluminense é enorme por si só.

Ah! O Flu venceu o Atlético no dia seguinte por 2×1, aos 47 do segundo tempo.

Fim

Casting:
Peter – Peter Siemsen, presidente
Mário – Mario Bittencourt, vice de futebol
Simone – Fernando Simone, diretor executivo de futebol
Assis – Roberto Assis, empresário de Ronaldo
Vitor – Vitor Leal – Amigo de Ronaldo e empresario de futebol
Ricardo – Ricardo Correa – Scout do Fluminense
Sergio – Sergio Queiroz – Advogado de Ronaldo

 

–  A série “Operação R10” tem 3 capítulos:

Capitulo 1
Capitulo 2
Capitulo 3

Comentários