Home » Futebol » Obrigado, Santos!

Obrigado, Santos!

De novo, muito obrigado. Por Pelé, Marta, pelo futebol brasileiro, por tantos craques e, desta vez, por pensar grande.

O Santos não é –  e não se ofenda com isso, torcedor santista – uma das maiores torcidas do país e sequer uma das que mais consomem. Com Neymar, Ganso e cia, tem uma média de público muito ruim em 2011, por exemplo. Isso é número, não opinião.

 Ainda assim, pensa gigante.

Porque é, independente de ter ou não 30 milhões de seguidores, afinal, os maiores clubes da Europa não tem isso nem como população da cidade.

Neymar fica até 2014 e dá mais um delicioso tiro na testa de quem acha que o Brasil é a série B da Europa.

Se submeterá a ficar ouvindo que “não pode ser melhor por não jogar no Barcelona” por mais 3 anos, pois deve saber que isso só é argumento de quem se empolga mais com a grife do que com o que assiste de fato.

Quando Luiz Alvaro diz “ele fica conosco até 2014”, não consigo saber se é pra todos ou só pros santistas.

Na verdade jornalistas, torcedores e amantes do futebol deveriam ir lá e agradecer ao presidente pela conquista e ao Neymar pela ousadia de ir na contra-mão.

Outro dia disse aqui que pagava pra ver um garoto que não fosse babaca de achar que o dólar europeu vale mais do que o dólar no Brasil. Dólar é dólar, e a dose do que não se compra é infinitamente maior estando em casa.

Pra crescer é preciso confiar. Para sermos gigantes precisamos de atitudes de gigante.

Neymar é um garoto de 20 anos que pensa e age como se tivesse 40. Melhor ainda, joga como se tivesse 15.

Ele fica pra fazer a FIFA olhar pra cá. E se não olhar, azar dela.

Ele fica pra dizer pro Real e pro Barcelona que são apenas dólares, não a grife. E se houver grife, não será maior que vestir a do Pelé.

Para conquistar o mundo é preciso estar do tamanho dele. Hoje o Santos mostrou que sonha com motivos e com argumentos.

Neymar é nosso!

Não do Santos apenas. Mas “nosso”, patrimonio de quem ama o futebol e não enxerga no nosso quintal uma grama pior que a do vizinho.

Nós podemos.

Que Neymar inspire novas gerações e, quem sabe, renove em 2014.

O Barcelona pode pagar o que quiser.

Por enquanto, vai apenas “pagar pau” pro melhor do mundo.

abs,
RicaPerrone