Home » Futebol » Atlético MG » O jeito certo de “errar”

O jeito certo de “errar”

O Galo joga de forma ofensiva. É raro um time que tenha a coragem de ter 4 caras o tempo todo agredindo. Cuca tem coragem, na mesma medida que tem suas manias.

Outros em seu lugar teriam desistido há muito tempo de suas convicções, afinal, sabemos o que dizem a cada campeonato perdido.

Sabemos também que “ir pra cima” é elogiável só quando ganha. Amanhã, se eliminado neste mesmo esquema de jogo, vai chover gente dizendo que deveria ter se preocupado com o gol fora, que a Libertadores é mata-mata, não pode se expor tanto, bla bla bla.

Cuca rasga o manual.

Lá, numa “estréia” internacional após tantos anos, jogou como quem joga no CT em dia de rachão.  Foda-se os donos da casa, a pressão, a lenda do futebol argentino.

Cuca foi mais o Galo, e fez história.

São só 3 pontos na tabela, mas é uma dose de confiança que um 0x0 apertado e recuado jamais daria a este time.

O último convicto de suas idéias até o final que conheci se chamava Telê, e o Galo o conhece bem. Não, não estou comparando nada na carreira deles, mas até poderia, já que a fama é idêntica proporcionalmente a idade.

Se for um erro ousar, Cuca erra do jeito certo.

Errado é não saber o que quer, como quer e mudar a cada crítica que ouve.

O Galo precisa de resultados tanto quanto o Cuca. Os dois vivem as sombras da desconfiança de uma mídia que não sabe o que quer, nem como quer. Mas que não vai aliviar quando o “erro” aparecer.

Mesmo que este erro me faça concordar, este post está aqui pra me impedir de amanhã, covardemente, dizer que não concordei com o esquema ofensivo do Cuca numa Libertadores.

Concordo sim. E mesmo se perder por isso, continuarei concordando.

Títulos são consequência de algo ousado, não o contrário.

Usaram terno, botaram respeito.

Agora voltem de chinelo, pois o placar já diz tudo que a América do Sul precisa saber.

abs,
RicaPerrone