Home » Futebol » Clubes » Corinthians » O dono do ano

O dono do ano

Não há qualquer outra palavra que possa ser dirigida ao Corinthians que não seja “parabéns”.  Do time que caiu pra série B, cheio de problemas administrativos e com um elenco desmontado ao time campeão de tudo que disputa.

Não é um esquadrão, mas hoje o futebol permite que não seja. É apenas um time cheio de bons jogadores e extremamente bem montado pelo seu treinador, o ótimo Mano Menezes.

A história começa na Série B, pela contratação questionada do Ronaldo, continua pela Copa São Paulo, passa pelo estadual invicto e chega ao título incontestável da Copa do Brasil.

Este é o atual Corinthians. Dono da mídia por uma inteligentíssima jogada de marketing, dono do futebol brasileiro na temporada e dono do mais importante jogador do país.  Agora, dono da primeira vaga na Libertadores 2010, ano do seu centenário.

Quando algum clube não se desfaz da base, elogiamos. Quando um DP. de marketing faz algo que dá resultado, enaltecemos. Quando o time joga um bom futebol e conquista títulos, temos apenas que aplaudir.

Isso tudo somado a uma torcida que jamais deixou o time, na boa e na pior. E um treinador que se mostra cada vez melhor e mais maduro para ser chamado de “top”.

Com todos os méritos do mundo,o time mais inteligente do país cozinhou o melhor time do país no papel em 2 jogos e ficou com o título. Aliás, como fez com o Flu, o Vasco, o Santos, o SPFC…

Maduro é apelido pra esse time, que passa 90 minutos sem dar chutão. Pensa no que vai fazer o tempo todo, não entra em pânico, não sai dando porrada, não vive de uma só jogada e, mesmo tendo um monstro lá na frente, não joga em função de um só.

O Inter, por sua vez, fez tudo certo até aqui. Mas, na primeira partida a bola não quis entrar, onde jogou muito bem mesmo desfalcado, diga-se. 2×0, era uma mão e meia na taça.

Em 20 minutos o Corinthians resolveu o título no Beira-Rio. O restante do jogo não existiu. É tudo obra do acaso, da situação, do desespero e do nervosismo.

Foram 110 minutos de final e mais nada. O Corinthians usou a cabeça enquanto o Inter tentou usar a técnica de forma desordenada.

O resultado pode gerar uma crise no Inter, o que não considero correto. O time vinha jogando bem até outro dia, é líder do Brasileiro, foi finalista da Copa do Brasil, venceu o estadual e a Sulamericana. Acho que mexer nisso agora é um pouco de incoerência. Mas, a gente sabe o quanto pesa a perda de um título. O Tite não tem esse nome todo pra ser uma certeza no clube.

Erra, como todo treinador erra. Mas tem feito seu time jogar bem e disputar títulos. Tem time, é verdade. Mas o desempenho dos últimos, sei lá, 5 ou 6 jogos, não pode ser o único parâmetro pra avaliar quase 1 ano de trabalho.

Não jogaria nas suas costas.

Até porque, o Inter perdeu o título pra um time organizadíssimo, formado, objetivo e de alto nível. Não há nada de absurdo em perder um titulo pro Corinthians, ainda mais sabendo que perdeu 3 dos seus 4 melhores jogadores no jogo de ida, onde perdeu 80% do titulo.

Hoje é dia de exaltar o trabalho do Corinthians. Deve ter lama pra limpar lá, é claro. Mas, falando de futebol e não do que “pode ser”, o Corinthians é o time que venceu tudo em 2009, que tem uma base mantida, formada, sem problemas de salários até onde se sabe, vendendo camisa pra todo lado, com a torcida feliz e comparecendo, e dono da mídia através da genial vinda do Ronaldo.

Favorito ao Brasileirão?

Porque não?

Como o Inter,  não deve nada pra ninguém. Pelo contrário, até sobra em alguns aspectos.

Parabéns ao Corinthians, o grande time de 2009, até agora.

E ao Inter, menos desespero e mais razão. Jogar tudo pro alto agora pode custar um Brasileirão onde, no papel, o time segue sendo o favorito.

E a fiel… comemore! Afinal, quem esteve junto na hora da dor, tem todo direito de se esbaldar na hora da alegria. E vocês foram incríveis com o Corinthians em 2008.

Abs,
RicaPerrone