Home » Futebol » Clubes » Corinthians » O baile do Pacaembu

O baile do Pacaembu

Sim, foi um verdadeiro baile. O Corinthians entrou em campo para enfrentar um grande adversário e encontrou um nanico vestido com uma grande camisa. Não fosse pela ótima atuação do capitão Rogério Ceni, o placar teria sido mais elástico e histórico.

Do principio ao fim, só deu Corinthians. Em todos os setores do campo sobrou camisa branca e faltou listrada. Parecia um coletivo de luxo, não um clássico.

Os tricolores notarão apenas a atuação do time. Os alvi-negros só celebrarão a grande vitória. Mas há muito mais do que isso por trás deste 3×0.

Há um clube em queda livre e até natural. Outro em alta, que vive o sonho do título em seu centenário.

Montado, organizado, qualificado e em casa, o Timão era mesmo favorito. Bagunçado, perdido e pressionado, o SPFC nunca chega a ser zebra. Mas, era natural até que saisse do Pacaembu derrotado.

O que não é natural é a insistente falta de futebol do Tricolor. São 4 anos de alguns resultados e quase nada de futebol. Desde 2006, só piora.

Hoje, curiosamente quando os resultados sumiram, todo sãopaulino que me chamou de corneteiro concorda e repete meu discurso. Falam em “empáfia”, em diretoria, em futebol feio, em retranca, etc.

Fico feliz, afinal, eu não estava errado. Apenas não me iludi com o placar dos jogos. Como agora, onde todos querem a cabeça de meio time, também não vou me iludir achando que há uma bomba no Morumbi.

Há sim uma dose enorme de arrogância que impera da diretoria ao torcedor, passando pelo time. E normalmente, quanto maior o salto, maior o tombo.

Lá no Parque São Jorge as coisas funcionam melhor ultimamente. O time parece bem definido, focado, ganhando alto com patrocinadores e ingressos.

O futebol é ciclico, só alguns sãopaulinos juram não ser. Mas, a historia crava a verdade.

É momento natural de reformulação no Morumbi, pois quando se ganha muito por alguns anos isso se faz necessário. Como não foi feito de forma inteligente, agora é preciso começar tudo do zero.

Quando um jogador sai no intervalo de um clássico, perdendo por 2×0, e diz que “precisa não tomar goleada”, algo está muito errado na MENTALIDADE do time.

No Corinthians, ao que tudo indica, a boa fase está chegando no ponto alto, não iniciando uma queda.

Isso tudo diferencia os dois clubes neste momento.

O jogo? Sem novidades. O Tricolor que tem medo de jogar e o Corinthians que deu um baile de bola.

3×0 foi pouco.

abs,
RicaPerrone