Home » + Chamada » O alvo, a euforia e a conquista

O alvo, a euforia e a conquista

Longe de mim querer dizer pra um torcedor, ainda mais o rubro-negro, para não sonhar tão alto.  Na verdade a cada rodada os números dizem pro Flamengo sonhar cada vez mais alto.

O que me preocupa é a troca de alvo repentina sem permitir nem que curtam a primeira conquista e tornem isso, no fim, um fracasso quando na verdade trata-se de uma grande vitória.

Explico: Chegar ao G4 era algo impensável há algumas semanas. E o Flamengo chegou.  Antes mesmo de se confirmar ali, muda-se o alvo pra título e começam a especular uma briga que ainda não existe.

O Flamengo hoje disputa com São Paulo, Inter, Santos, Palmeiras, Fluminense e Atlético PR uma vaga no G4.

Ele pode disputar o título? Pode, claro!

Mas se antes de garantir um “quase impossível” G4 a meta se tornar o título, o final do ano vitorioso e com uma arrancada história pode se tornar um “fracasso”.

Você acredita?

Não. Dessa vez eu não acho que vá acontecer.  Porque? Porque o Flamengo tem Galo, Corinthians, Grêmio e Santos fora. A tabela não é boa para se tirar 10 pontos. Talvez para uma briga de igual pra igual até fosse, mas para tirar 10, acho complicado.

Possível? Óbvio que sim.  Mas não deve ser, neste momento, o alvo.  Porque? Porque se em 2 rodadas ele ficar inviável, toda a comoção rumo a G4 se tornará uma tentativa frustrada de título e não mais uma conquista de vaga.

O Flamengo não pode “dobrar a meta” antes de atingi-la. E neste caso, diferente da dona da frase célebre, havia uma meta.

O G4 primeiro, depois, quem sabe, o hepta.  Mas agora, o G4.

abs,
RicaPerrone

Comentários