Home » Futebol » Botafogo » No ringue do Brasileirão

No ringue do Brasileirão

Muricy diz que futebol é igual basquete, eu discordo. Aliás, não vejo picas de semelhança se querem saber. O esporte que eu lembro muito vendo um jogo de futebol é boxe, e não pela forma, mas pela postura.

Quando você mete um cara nas cordas, você tenta derrubar pra evitar que ele volte pra luta. Boxe é previsto pra 12 rounds, e SE alguem cair, ela acaba antes. Se você pode derrubar, porque esperar os 12?

Time de futebol, principalmente aqui, tem uma mania recente meio tosca. Ele faz 1×0 e senta no resultado, dando todo tempo do mundo pro outro achar um gol ou se encontrar no jogo. Essa “falsa garantia” de resultado acaba complicando a vida de muita gente.

Covardia não costuma entrar na mesma frase de “campeão”. Acontece, hoje o futebol até permite, mas…

O Corinthians e o Botafogo hoje mostraram a diferença entre 2 grandes lutadores de boxe. Quando o Botafogo fez 2×0 no Engenhão o Grêmio não sabia nem pra que lado ia. Foram fazer 3×0? Não, sentaram no placar e ficaram achando que tudo bem.

O Corinthians levou 1×0, viu o Goiás sentar no resultado e foi pra cima. Mas iria de qualquer  forma, pois estava perdendo. Quando virou o jogo, podia também ter recuado, e não fez. Assim como no clássico de alguns dias atrás, matou o jogo quando o adversário estava tonto.

É meio burro isso, mas tem time que prefere ver o cara levantar das cordas e respirar pra depois derrubar. Se está tonto, se está batendo, derruba!

Preocupa o Fluminense também por isso. É um time comandado por um cara que AMA o 1×0 no contra-ataque. E quando faz, pára.  Até que acaba sofrendo o gol. Quarta-feira foi assim, e quem conhece o Muricy não se espanta, ate porque o Flu não tem Miranda, Alex Silva, André Dias e Breno pra salvar a pátria dele.

O Adilson, que nunca me convenceu no Cruzeiro, faz bom trabalho até aqui mantendo boa parte do que o Mano deixou. O time cria, joga solto, joga bem.  É um Corinthians muito forte, cheio de vontade e de alternativas pra vencer um jogo.

E hoje, o que faltou no Engenhão, sobrou no Pacaembu. Derrubou uma vez? Levantou? Então é agora que derruba de vez. Esperar 3 rounds pra investir de novo é burrice. E o Corinthians não fez cerimonia.

No melhor estilo Mike Tyson, viu o rival bambiar e derrubou.

O Bota, pensando que era o Ali, quis apanhar e resistir até matar no fim. Não matou, uma hora o golpe entrou. Perdeu 2 pontos pela circunstância do jogo.  O Grêmio nunca é cachorro morto, pelo contrário. Mas estava fácil, e o Botafogo quis “não perder” quando tinha tudo pra ganhar.

E assim vão se definindo os papeis no Brasileirão. Hoje, nem sendo líder, acho o Corinthians o mais forte dos candidatos.

Hoje.

abs,
RicaPerrone