Home » Futebol » Clubes » Flamengo » Não há curso para futebol

Não há curso para futebol

Me lembro como se fosse hoje as brigas por twitter e as campanhas fervorosas de pessoas que acreditavam ter em uma chapa todas as soluções de um clube.  Pessoas que, iludidas pela paixão, superestimaram seres humanos a condição de super heróis.

Juro, até hoje não sei o quanto do que esperava-se desta diretoria era promessa dela e o quanto era delírio de torcedor. Mas criou-se sim uma fantasia muito grande.

Para quem está de fora é sempre tudo fácil. Não há nada mais fácil no mundo do que fazer oposição.

Formados nos mais diversos cursos, foram lá colocar as contas em dia e colocaram. Mas infelizmente ou não, ninguém torce pra ter um clube pagando em dia, mas sim um clube campeão.

De todos os delírios que li e ouvi, o mais perturbador é o conceito de que há alguém no mundo formado para gerenciar futebol. Este curso não existe, menos ainda no Brasil onde o jogo é 80% técnico e não tático. Portanto, não há controle sobre ele.

Futebol se aprende errando. Dentro e fora do campo.

Não me frustrei com a diretoria porque nunca achei que ela soubesse o que estava fazendo dentro de campo. Esperei dela fora, e ela fez muito bem. Vendeu as cotas, pagou dívidas e está em dia. Dali pro gramado, um erro anunciado quando contrataram Pelaipe, uma figura “mais do mesmo” no futebol.

A cada troca de técnico e diante de alguns reforços, entendemos que ali não havia grande sabedoria nessa área. E enquanto não delegarem a quem pode fazer isso, estarão fadados as vaias.

Eu vou correr um risco considerável aqui, mas vou dizer que o Flamengo volta bem diferente das férias. No elenco, na forma de jogar, em tudo. Não porque acho que o Ximenez seja um mago, mas porque não acho que estes caras vão querer fazer tão mal a seus invejaveis curriculos ao ponto de fracassarem publicamente como gestores.

Uma hora você TEM que acertar. E é nessa hora que separamos os protagonistas dos figurantes.

É claro, ao ver Wallim saindo, que a coisa não saiu como planejado. Talvez porque tenham planejado demais. Mas o conceito ficou, o trabalho de 1 ano e meio também.

E o discurso de que é melhor dever pra um craque do pagar em dia um pereba vai sumir da mesma forma que sumiram todos os outros: com vitórias.

“Isso aqui é Flamengo”, lembra?  Então, talvez, o único grande defeito desta diretoria seja não tratar o Flamengo como Flamengo, e sim como Sky, Mastercard, McDonalds, Cinemark, etc.

Não são clientes. São torcedores. Carregam isso nas costas e não querem que vocês tirem o clube das costas deles. Eles adoram carrega-lo.

A leitura do problema está errada. É no conceito, não na bola que não entra.

Porque ela vai voltar a entrar. Tenho absoluta certeza disso.

abs,
RicaPerrone

Comentários