Home » Futebol » Não é a volta do “passe”

Não é a volta do “passe”

A FIFA diz que vai proibir fatiar jogador de futebol e muita gente comemora a volta do “passe”. Outros, contestam.  Na real, não tem passe. Se o jogador quiser sair de graça ao final do contrato, sairá.

A mudança apenas impede que empresários invistam em jogadores por não poderem ser donos de clubes.  Por exemplo:  Se sou um ricão da Russia e quero lavar uma grana, compro um time inglês e tudo bem. Se quero fazer isso no Brasil, não dá. Os clubes não estão a venda.  Então, eu compro parte do jogador e ganho na revenda.

Isso acabando, o primeiro prejudicado é o Brasil. Em mais uma velada ação da FIFA para deixar o futebol perfeito pra Europa e dane-se a América do Sul.

Quem mantém hoje os grandes craques que ainda temos aqui são empresários, terceiros.  Na Europa eles compram o clube, logo, não precisam fatiar jogador.  Se essa lei baixa agora, só de partida perdemos mais da metade dos jogadores de destaque do campeonato. Todos “fatiados” com empresários e empresas investidoras.

Não porque é errado. Mas porque nosso modelo não permite que seja diferente. E assim sendo, a mudança da FIFA vai dar uma paulada no nosso futebol a curto prazo.

A longo? Depende da leitura que os clubes fizerem disso. Como duvido muito da inteligencia deles, acho que não vão conseguir notar que ter jogadores em 100% pra revender não muda nosso problema e seremos, de novo, pra sempre, uma barriga de aluguel.

Não se engane achando que vamos ter o Neymar 100% pro clube.  Ele será vendido 2 anos antes e por 50% do valor pela necessidade.

É isso que queremos? Imagino que não.

Se o Sonda quiser pagar pra eu ver o Ganso jogar, que pague! Eu não vejo beneficios na retirada deste investidor e na necessidade que isso vai gerar do clube vender o craque.  Se encontramos um princípio de formato para concorrer com eles, a FIFA tratou de retirar.

Não é a volta do “passe”, nem uma ótima medida pra nós.  É uma medida que fortalece a compra de clubes europeus, o futebol deles e que facilita ainda mais a ida de craques brasileiros pra fora.

abs,
RicaPerrone

Comentários